DesculpasparaLer lança projeto de contos em formato audiovisual com Língua Gestual

DesculpasparaLer lança projeto de contos em formato audiovisual com Língua Gestual

O @desculpasparaler, projeto que se destaca por ser destinado a um público não leitor, acaba de lançar uma iniciativa para TODOS.
«Se queremos aumentar a literacia e o gosto pela leitura, temos que pensar em TODOS. Com base nesta premissa, criámos vídeos animados a partir de contos infantis, privilegiando a leitura em voz alta», refere Rita França Ferreira, fundadora do @desculpasparaler.

A iniciativa chama-se “Mão cheia de desculpas”, e é inaugurada com «Todos no Sofá», um conto de Luísa Ducla Soares, ilustrações de Pedro Leitão e publicado pela Livros Horizonte.
É um “clássico” com 20 anos, que foi escolhido a dedo para celebrar a intemporalidade da obra da autora: «um livro curto, em rima e sobre amigos animais e números.»

Sónia Mota é a intérprete de língua gestual portuguesa deste vídeo e refere: «a comunidade surda é uma minoria, o que não deveria significar acesso limitado à cultura.
Esta é uma animação inclusiva, para todos. O texto é simples, de palavras repetidas e de fácil compreensão, tanto ao nível da linguagem oral, como na linguagem gestual. Este é um bom exemplo de integração e uma boa referência pedagógica.»

O conto «Todos no Sofá», assim como todos os outros que serão lançados em breve, graças ao interesse de autores em promoverem o acesso das suas obras a TODOS, poderá ser visualizado na biblioteca do canal YouTube @desculpasparaler.

Será criada uma biblioteca de livros em língua gestual dedicada especialmente para os mais novos, lançada na Semana da Leitura do Plano Nacional de Leitura (PNL) de 8 a 12 de março.

O vídeo pode ser visualizado aqui

Sobre Desculpasparaler.com
É um projeto editorial que se destaca pelo público-alvo – pessoas que não leem ou leem pouco – e também pelos autores das sugestões de leitura, pessoas comuns que partilham as obras que passam pelas respetivas mesas de cabeceira. Em desculpasparaler.com, será possível encontrar entrevistas a pessoas comuns, portuguesas e estrangeiras, visitar bibliotecas de radiologistas, advogados, investigadores, professores; descobrir dicas para se falar e escrever mais e melhor; ouvir histórias pela voz dos adolescentes. Entre outras desculpas para ler. O projeto nasce em plena quarentena porque “houve coragem e tempo. Com a quarentena, houve tempo para tirar da gaveta este projeto, aprimorá-lo e pô-lo ao serviço dos outros”, conta a autora Rita França Ferreira, que tem como objetivo contribuir para o aumento dos hábitos de leitura em Portugal.
Não é um site. É uma desculpa para ler.

Pode saber mais deste projeto aqui:
 Facebook e Instagram