Em promoção

  • Agenda Solidária IPO

    Ao comprar está a ajudar o Serviço de Pediatria do IPO

    Porque é que esta agenda é para si?

    Porque são 365 dias solidários com as crianças e adolescentes com cancro, tratadas e acompanhadas no Instituto Português de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil.

    Doze meses marcados pelos textos de doze grandes personalidades portuguesas, que dão conta de uma memória marcante, que fez a diferença no seu percurso pessoal e na sua dádiva aos outros. Ilustrados pelo pintor João Vaz de Carvalho, que ofereceu o seu enorme talento a este projeto solidário.                                                                                                                         

    Textos presentes na agenda:

    Marcelo Rebelo de Sousa – «O choque da desigualdade»

    Nuno Markl – «O meu primeiro “ato público”»

    Elvira Fortunato – «Tornar a ficção em realidade»

    Clara de Sousa – «As palavras desconhecidas»

    Margarida Pinto Correia – «O poder de transformar»

    Boss AC –  «Quando preciso de me encontrar»

    Sandra Correia – «A noite dos milagres»

    Afonso Cruz – «Para o sótão e mais além»

    Victoria Guerra – «As palavras do meu pai»

    Prof. Sobrinho Simões –  «Entre os seus, até ao fim»

    Marisa Matias – «Um encontro para a vida»

    Catarina Furtado – «Em nome das mães»

    13.90€ 8.90€
  • O Gato da Matilde

    No dia em que a Matilde se mascarou de gato e fez brincadeiras de todo o tipo, o seu animal de estimação, um gato malhado, arisco e bastante assustadiço, apenas disse: “Não.” Apesar dos melhores esforços da criança, Matilde é incapaz de convencer o seu gato a brincar com novelos de lã ou caixas, subir às árvores ou andar de bicicleta. Depois de uma “festa do chá”, de uma sessão de desenhos e uma história para adormecer, a menina decide despir o seu fato de gato e fica pronta para ir para a cama quando, finalmente, capta a atenção do gato malhado. A ilustração em aguarela marcadamente enérgica, é já uma imagem de marca da autora Emily Gravett, com muito humor visual e com personagens que expressam os seus sentimentos e a sua personalidade com enorme firmeza.

    12.80€ 11.52€
  • Varões Assinalados

    Obra de excepcional qualidade artística, os Varões Assinalados de Francisco Valença – caricaturista cujo talento artístico contrasta com algum esquecimento público –, traça os retratos das mais destacadas figuras públicas do conturbado período que vai de Setembro de 1909 a Agosto de 1911, acompanhados de biografias humorísticas assinadas por autores como André Brun, Gomes Leal, Alfredo Mesquita, João Chagas, Albino Forjaz de Sampaio ou Mayer Garção. São 48 retratos a texto e traço do mais fino e espirituoso humor, que 100 anos depois aqui recuperamos.

    34.56€ 24.00€
  • A Cidade entre Desenhos

    Mutações urbanas e mutações profissionais constituem o objecto de estudo do autor.

    25.04€ 13.00€
  • O Arquitecto e Outras Imperfeições

    Análise valiosa acerca das convicções profissionais dos arquitectos, especialmente no que se refere às suas convicções éticas, ao seu autoconceito, paradigmas de trabalho, transformações dos processos e métodos de trabalho, posição do arquitecto na estrutura social e económica, relações com o poder político, entre outros.

    27.56€ 13.00€
  • Apontamentos para Uma Teoria da Arquitectura

    Pedro Vieira de Almeida é arquitecto formado pela Escola de Belas Artes, do Porto. Trabalhou em diversos ateliers de arquitectura, nomeadamente no de Nuno Teotónio Pereira, Bartolomeu Costa Cabral e Nuno Portas. Desde sempre privilegiou a abordagem de cariz teórico de temas da arquitectura, procurando manter esta investigação em paralelo com os aspectos mais pragmáticos e empenhados da sua prática profissional. Com o correr dos anos este aspecto não deixou de se acentuar. Estes textos soltos, agora publicados simultaneamente, são, no geral, tentativas de reflexão crítica sobre Arquitectura, deliberadamente rejeitando à partida qualquer tipo de abordagem do tema, na base de uma pretensa especulação filosofante, ou de esquisito recorte transcendental.

    15.90€ 13.00€
  • Panóptico, Vanguardista e Ignorado

    Nesta obra, de Vítor Albuquerque Freire, sustentada em fontes documentais recentemente detectadas, revela-se pela primeira vez um edifício de importância internacional,tão singular como fascinante: o Pavilhão de Segurança (1896) do Hospital Miguel Bombarda, Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa. Aqui é desvendada também a identidade do seu arquitecto, José Maria Nepomuceno, até agora menosprezado pela historiografia. O livro, ilustrado com 86 imagens, revela a existência em Lisboa de um edifício Panóptico, um dos poucos existentes no mundo, materializando a arquitectura preconizada por Bentham em 1791 (prisões circulares com vigilância desde uma torre central), um pré Big Brother de Orwell, símbolo de manipulação totalitária, depois descrito por Foucault, no mundo de hoje um conceito pleno de actualidade… O edifício está ligado ao pensamento de Miguel Bombarda (dirigente da revolução republicana de 1910), delineado para enfermaria-prisão de doentes mentais condenados ou inimputáveis, com um passado dramático de sofrimento e dor. No entanto, esta obra arquitectónica constitui, paradoxalmente, uma construção de grande beleza e elevado valor patrimonial. O pavilhão de segurança é também o expoente de como, em arquitectura, a “função gera a forma”. Um edifício que ostenta uma nova e visionária linguagem formal de superfícies arredondadas sem aresta, antecipando a revolução do design industrial e da arquitectura dos anos 20 e 30 do século XX. “Panóptico, Vanguardista e Ignorado” é um livro surpreendente, livre de preconceitos, que obriga a repensar parte da história da arquitectura portuguesa dessa época.

    22.16€ 13.00€
  • A Habitação de Interesse Social em Portugal

    – Registo desenvolvido do que de mais significativo foi feito na promoção da habitação de interesse social portuguesa durante cerca de 20 anos, designadamente entre 1988 e 2005, numa amostragem de mais de 200 conjuntos habitacionais dos quais muitos premiados e mencionados no âmbito do Prémio do Instituto Nacional de Habitação (INH), cujas 18 edições ocorreram entre 1989 e 2006; – Documento onde se tenta assegurar o registo dos principais aspectos da evolução da dinâmica processual deste Prémio; – Ampla amostragem ilustrada e comentada de muitas dezenas de soluções habitacionais de referência; – Oferta de informação sistematizada de conjuntos residenciais, edifícios e fogos integrados em diversificadas condições de localização…

    23.32€ 13.00€
  • O Sentido da Cidade

    Dentro de que espaço queremos que cresçam os nossos filhos? Como percepcionamos o valor do espaço público ou a identidade de um lugar? Como se constrói a marca de uma cidade? Não constituirão as cidades-espectáculo, com a hipervalorização da autoria, uma mistificação do papel da arquitectura? Até onde nos deixamos levar pela competitividade? Ficamos pelo domínio da imagem ou queremos ser parte de um sentido? Lançando questões essenciais ao futuro da cidade, o Arquitecto Pedro Brandão propõe uma discussão audaciosa à luz do pensamento crítico, para focalizar a mudança e atender aos desafios emergentes. Porque mais do que um desenho a cidade é uma obra colectiva nunca acabada, uma entidade viva que reage, se transforma e se reinventa, a solução estará sempre lá, onde estão as pessoas.

    23.32€ 13.00€
  • A Verdadeira Dieta Low Cost-2ª.edição

    Emagreça poupando Apesar da crise que nos afecta a todos, é possível viver e alimentar-se de forma saudável, sem gastar rios de dinheiro em suplementos, alimentos dietéticos ou ginásios caríssimos. Para além de um programa de exercício físico a custo zero, na VERDADEIRA DIETA LOW-COST vai encontrar 45 receitas a baixo custo, com um plano alimentar diferenciado para homens e mulheres. E algumas regras de ouro para 45 dias de prazer mas que não dêem cabo da saúde nem da carteira. «Poupar na alimentação não significa comer menos! Significa sim ter noção das prioridades e muitas vezes comer melhor por um preço muito mais baixo. Hoje em dia as pessoas, cada vez mais, procuram uma alimentação rápida e económica, sendo que as refeições de fast-food são as mais escolhidas. Mas comer nestas cadeias de restaurante nem sempre e sinónimo de comer bem e saudavelmente. Uma alimentação saudável não tem necessariamente de estar desligada dos prazeres da vida. A receita para comer bem passa por comer de forma equilibrada, de acordo com as necessidades de cada um. Por isso este livro, Dieta Low-Cost, para além das recomendações e das regras de ouro que sugiro, está planeado para ser cumprido em 45 dias seguindo um esquema alimentar (um para mulheres e outro para homens) com sete refeições diárias. Assim, por exemplo, um dia com 7 refeições pode custar a partir de 4,74 €. Associado a este plano alimentar está um conjunto de receitas económicas, saudáveis e deliciosas.» Da Introdução

    15.50€ 9.00€
  • Vincent Van Gogh e as Cores do Vento

    Vincent Van Gogh é um dos mais aclamados pintores do mundo mas o seu talento não foi reconhecido pela maioria dos críticos, enquanto viveu. Esta não é apenas a história de um génio incompreendido; é sobretudo uma homenagem à arte inimitável do pintor dos girassóis. O texto é baseado nas cartas trocadas entre Vincent e Theo, o seu irmão mais velho. As ilustrações são da premiada artista italiana Octavia Monaco. Livro seleccionado para integrar a lista do White Ravens 2011, uma lista das melhores novidades infantis escolhidas por especialistas da Internacional Children’s Digital Library.

    PNL

    16.75€ 11.73€
  • Tristão e Isolda

    Havia um lugar na Cornualha, fustigado pelos ventos e varrido pelas ondas, onde as almas de dois amantes desafiavam o tempo infinito. Ele chama-se tristão, ela Isolda.

    15.90€ 11.00€
  • O Nascimento das Estações

    O mito de Deméter e Perséfone, uma história de amor maternal e filial que os Gregos usavam para explicar a sucessão das estações do ano. Fabulosas ilustrações de uma artista – Octavia Mónaco – que cada vez se aproxima mais da perfeição.

    15.90€ 11.00€
  • A Incrível Viagem de Ulisses

    A Odisseia, de Homero, interpretada e ilustrada de forma admirável. A leitura fascinante de um clássico da Antiguidade tornada num verdadeiro prazer…

    16.96€ 11.00€
  • Rei Artur, Guinevere e Lancelot

    Esta é a história doce e tempestuosa de Lancelot do Lago, cavaleiro da Távola Redonda, e dos seus amores por Guinevere, a jovem mulher do Rei Artur. Para Lancelot o rei é um amigo e o senhor a quem serve com a sua espada. Por ele tem de partir em demanda do Santo Graal. Mas permitir-lhe-á o amor que sente pela rainha cumprir com sucesso a sua missão? Uma lenda de séculos, imortal como todas as histórias de coragem, imortal como a memória do amor.

    15.90€ 11.00€
  • Como Me Tornei Marc Chagall

    Em criança, Moshe Segal vivia encantado com o bairro judeu de Vitebsk, onde vivia. Observava os músicos, os rabinos, as cabras e as galinhas, o avô que subia ao telhado para comer cenouras. Quando cresceu, tornou-se o pintor Marc Chagall. Sem nunca deixar de reviver todas as suas memórias, deu-lhes vida nos seus quadros vivos e cheios de cor.

    15.80€ 13.00€
  • Clara e Francisco

    As biografias dos dois santos de Assis, Itália, São Francisco e Santa Clara, através de soberbas ilustrações.

    17.97€ 11.00€
  • Apresento-vos Klimt-2ª.edição

    Quem era Gustav Klimt? Todos sabem que pintava quadros sumptuosos decorados a ouro, com personagens capazes de exprimirem múltiplos sentimentos. Como ele não gostava de falar sobre a sua obra e da sua vida, deixemos que seja o seu gato a falar por ele…

    PNL

    15.90€ 11.13€
  • Contos de Animais

    Uma colectânea de histórias de animais de todo o mundo que, além de divertirem, convidam a pensar.

    19.18€ 13.00€
  • Adivinha, Adivinha-6ª.edição

    Há milhares da anos que existem adivinhas, que têm feito rir e pensar muitas gerações de adultos e crianças. Já se perdeu a memória de quem as inventou, e são hoje um tesouro da nossa cultura, que não pára de crescer porque há sempre gente imaginativa que o vai acrescentando. Escolhemos para vocês estas 150 adivinhas, que se referem a coisas que todos conhecem, para que descubram a solução sem o auxílio dos mais crescidos. Leiam com atenção, puxem pela cabeça, vejam se acertam. Os desenhos ilustram as soluções de muitas adivinhas mas, para ser mais divertido, não estão na mesma página.

    9.52€ 6.70€
  • Um Rapaz Chamado Giotto-2ª.edição

    Há séculos atrás, um pastorinho desenhava as suas ovelhas na areia e nas pedras. Hoje todos o conhecem como Giotto.

    16.96€ 13.00€
  • O Cais do Sodré em Postal Antigo

    O velho sítio dos Remolares, denominado posteriormente Cais do Sodré, foi local de inspiração de fotógrafos desde que esta profissão/actividade adquiriu estatuto e destaque. A colecção de postais ilustrados antigos presente neste livro revela ao leitor a importância urbana do Cais do Sodré e da Avenida 24 de Julho que abriram a vertente da Lisboa Ribeirinha, a partir da área pombalina consolidada para a urbanização dos novos espaços conquistados ao Tejo, em resultado de demorado processo de aterros e de arranjos citadinos. Através de 108 belíssimas representações deste importante espaço lisboeta é possível, aqui, ganhar uma visão completa do evoluir da zona do ponto de vista construtivo.

    37.10€ 14.00€
  • Caminho do Oriente – Guia do Olhar – Fotografias da Zona Oriental de Lisboa,

    Este álbum de fotografias corresponde a uma parte do levantamento patrimonial e histórico efectuado no denominado “Caminho do Oriente”, zona oriental de Lisboa, antes da requalificação urbana então efectuada para preparação da Expo 98. A proposta feita a quatro finalistas do curso de fotografia do ARCO foi aceite, e o resultado é a captação de vários olhares com alma própria sobre uma área esquecida de Lisboa, com uma história feita de sobreposições, mal-entendidos e desencontros.

    18.50€ 14.00€
  • O Grémio Literário e a sua história

    O “Grémio Literário”, fundado em 1846 por personalidades como Alexandre Herculano e Garrett, Rodrigo da Fonseca e Rodrigoues Sampaio, Sá da Bandeira e Loulé, é uma instituição cultural de “utilidade pública” e um clube social, instalado desde 1875 no palacete Loures, exemplar da arquitectura romântica, junto ao Chiado, com seus salões, sua biblioteca, seu restaurante e seu bar. Dele fizeram (e fazem) parte nomes notáveis da vida intelectual, política e social nacional – com a lembrança maior de Eça de Queiroz que numerosas vezes se lhe refere na sua obra. José-Augusto França propôs-se traçar a história do “Grémio Literário” ao longo de perto de 160 anos, com suas conferências, seus concertos e recitais, seus encontros de escritores, suas ante-estreias de filmes, seus jantares comemorativos – suas vivências, em suma, dando significativo relevo ao Salão dos Humoristas de 1912, que, com Almada Negreiros, Jorge Barradas ou Canto da Maia, marca a primeira data histórica do “Modernismo” português, ou do “Centro de Estudos do Século XIX”, que, cerca de 1970, sob a presidência de Vitorino Nemésio, realizou numerosos seminários, conferências e colóquios internacionais.

    26.65€ 17.00€
  • Caminho do Oriente – Guia do Azulejo

    Lisboa produziu e consumiu quantidades prodigiosas de azulejos, sobretudo nos séculos XVII, XVIII e XIX e apesar de parte desse património ter desaparecido muito ainda pode ser visto na zona oriental. Veremos duas vertentes da arte o azulejo: a dos interiores que cria ambientes requintadíssimos dentro dos edifícios, e a azulejaria concebida para o exterior como forma de arte urbana. Lisboa foi desde o século XVI, o grande centro produtor e exportador de azulejo, inventando uma forma muito especial de viver com ele, multiplicando as suas hipóteses decorativas e significativas que vão evoluindo ao mesmo tempo que as mentalidades e as preocupações da sociedade. O “Guia do Azulejo” resulta de uma longa investigação feita no Caminho do oriente, passeio que se propõe ao leitor desde o Largo do Museu Militar ao Convento de Marvila.

    32.78€ 19.00€
  • Dos Restauradores à Liberdade em Postal Antigo

    Este livro mostra-nos a cidade de Lisboa, dos Restauradores à Avenida da Liberdade, através de 106 belíssimos postais ilustrados antigos, cuidadosamente seleccionados e organizados pelos autores. Conta ainda com uma elaborada contextualização sociohistórica e cultural da Lisboa daquele tempo relatando sobre o Passeio Público, a Praça e o Monumento, os Edifícios com interesse (Palácio Foz, Palácio Anjos, Hotel Avenida Palace, Cinemas Éden, Condes e Tivoli e o Elevador da Glória), a Avenida e os Bairros, as várias estátuas ao longo do percurso e sobre as figuras mais importantes como Rosa Araújo, Ressano Garcia e José Luís Monteiro. Carlos Consiglieri e Marília Abel têm vindo a alargar o nosso conhecimento acerca da capital, com riquíssimas colecções de postais antigos. Esta colecção conta já com os seguintes títulos: Os Jerónimos em Postal Antigo, O Rossio em Postal Antigo, A Praça do Comércio em Postal Antigo e O Cais do Sodré em Postal Antigo.

    35.33€ 14.00€
  • Caminho do Oriente – Guia Histórico I

    Este “Guia Histórico” corresponde a um projecto no âmbito do Caminho do Oriente de levantamento histórico do património existente na zona Oriental de Lisboa. É um projecto de estudo urbano da Zona Oriental de Lisboa com vista ao seu conhecimento para uma coerente intervenção e transformação na preparação da EXPO 98.

    32.78€ 19.00€
  • Lisboetas do Século XX – Anos 20, 40 e 60

    José-Augusto França divide em três partes cronológicas – anos 1920, 40 e 60 – a sondagem feita a uma Lisboa de há poucas décadas. Num certo registo de divertimento a que nos habituou já em obras anteriores, o historiador, atento aos tempos e aos sítios, às pessoas e às imagens, descreve-nos as transformações de Lisboa – em urbanização e demografia –, o quotidiano da cidade nas pessoas dos seus habitantes, a (trasn)formação de classes sociais (“smart” em 1920, “jet set” em 1970…) com o declínio discreto de uma aristocracia com hábitos de vida herdados, a pequena e a alta burguesias emergentes a contrabalançar com o levantar dos bairros sociais. O autor apoiou-se em personagens e referências literárias de alguns escritores que criaram “lisboetas apropriados” – Luís Francisco Rebelo, André Brun, José Cardoso Pires, Luís Sttau Monteiro, João Ameal e outros – e pontuou sempre a sua pesquisa com a ilustração indirecta das sondagens feitas, através de fotos de imprensa ou arquivos, bem como de desenhos de humor. Stuart Carvalhais, Bernardo Marques, Carlos Botelho, Jorge Barradas, Almada Negreiros e o mais recente João Abel Manta são apenas alguns dos nomes pela mão de quem vamos nesta viagem intemporal a uma Lisboa de outros tempos.

    19.08€ 14.00€
  • Caminho do Oriente – Guia Histórico II

    Este “Guia Histórico” corresponde a um projecto no âmbito do Caminho do Oriente de levantamento histórico do património existente na zona Oriental de Lisboa. É um projecto de estudo urbano da Zona Oriental de Lisboa com vista ao seu conhecimento para uma coerente intervenção e transformação na preparação da EXPO 98.

    32.78€ 19.00€
  • Caminho do Oriente – Guia do Património Industrial

    Este “Guia Histórico” corresponde a um projecto no âmbito do Caminho do Oriente de levantamento histórico do património industrial existente na zona Oriental de Lisboa na continuação das transformações urbanas introduzidas pela preparação da EXPO 98. A área oriental da cidade experimentou uma vocação industrial, cujas marcas ficaram traçadas na paisagem, desde a época da expansão. Oficinas, manufacturas, fábricas, chaminés, fornos, grandes conjuntos industriais, bairros operários, trabalho, greves… Este guia procura contribuir para o reconhecimento e salvaguarda dos valores industriais e dos seus edifícios notáveis, da caracterização do valor patrimonial artístico-arquitectónico e técnico das unidades sobreviventes na cidade oriental.

    32.78€ 19.00€
  • Exposições do Estado Novo – 1934-1940

    A Exposição do mundo Português foi, em 1940, um facto cultural da maior importância no quadro da política do Estado Novo em que se explica, programada que foi pelo próprio Oliveira Salazar no âmbito de vastas comemorações nacionalistas do regime. Mas a exposição de Belém ultrapassa o seu propósito pela qualidade artística da sua realização, apogeu da criação dos artistas portugueses das duas primeiras gerações “modernistas”, após uma série coerente de manifestações que a preparam – desde 1934, na exposição do 1.º Congresso da União Nacional. A Professora Margarida Acciaiuoli consagrou uma parte importante da sua tese de doutoramento (UNL, 1991) à história da Exposição de 1940 estudando minuciosamente as que a precederam, numa recolha inédita de informações, e passando daí ao estudo original da arquitectura e do urbanismo, da pintura e da escultura dos anos 40 em Portugal.

    32.78€ 19.00€
  • Monte Olivete, Minha Aldeia

    “Monte Olivete, minha aldeia” é um roteiro histórico e artístico, em urbanismo, arquitectura e paisagem, humana também, através das vivências de um antigo local de Lisboa que Fernão Lopes já mencionou. José-Augusto França, autor de vasta obra de historiador da cidade, passeou lentamente por estas ruas, largos e jardins, calçadas e escadinhas, entre igrejas e conventos, universidades e indústrias, palácios, casas e casebres, com a experiência de lá viver há meio século. E com sociologia aplicável… Um triângulo com vértice no Rato, lados nas descidas do Salitre e de S. Bento, base numa sequência de três jardins, da Alegria, do Príncipe Real e das Flores, e mediana na linha de festo da rua da Escola Poltécnica, define-se claramente na topografia da cidade – tendo adquirido personalidade ao longo de mais de quatro séculos, em transformações naturais e artificiais, conservações e restauros. Depois de ter escrito a “crónica de um percurso” do carro eléctrico “28” (1999, 2.ª ed. 2000) e de ter publicado “Memórias para o Ano 2000” (2000, 2.ª ed. 2001), José-Augusto França deu-se, com gosto, a este “divertimento literário” – que Pedro Soares mais uma vez acompanhou com as suas fotografias.

    27.69€ 17.00€
  • Os Jerónimos em Postal Antigo

    O Mosteiro de Santa Maria de Belém – ou dos Jerónimos –, é aqui evocado em 115 postais ilustrados antigos, que datam desde finais do século XIX até às primeiras décadas do século XX. Através destas belíssimas reproduções é-nos proporcionada uma original viagem no tempo na qual podemos apreciar as várias fases da evolução e da construção última do monumento.

    32.81€ 14.00€
  • O Rossio em Postal Antigo

    Rossio significa “praça pública”. Tem o mesmo sentido que a Ágora para os gregos ou o Forum, para os romanos. Este grande centro viu passar quase toda a História da cidade, as alegrias do povo em festa, as procissões lancinantes das vítimas inquisitoriais, as revoltas, os comícios, os corsos de carnaval. Descendo pelo vale que se fez avenida e pelas encostas que emolduram a praça, os acontecimentos vieram parar ao Rossio. Acontecimentos aqui evocados em 115 postais ilustrados antigos, que constituem belíssimas representações da Praça D. Pedro IV, em Lisboa.

    38.36€ 14.00€
  • A Praça do Comércio em Postal Antigo

    Como afirmam diversos investigadores, a maior parte da memória da cidade de Lisboa e dos portugueses passa pela Praça do Comércio, ou Terreiro do Paço. Ali foi o primeiro porto de Lisboa, local da ascensão dos judeus, espaço das estruturas do poder real manuelino, ex-libris filipino, cenário inquisitorial, sítio de entradas reais, da celebração do simbólico e do poder de estado iluminista, lugar do regicídio de D. Carlos, das festas republicanas… Corporizou, na sua enseada, o anco-radouro – porto que serviu a actividade de salga de peixe – e serviu depois como escoador de produtos artesanais medievos. Este álbum revela-nos a Praça do Comércio por um horizonte temporal de 30 a 40 anos, desde a última década de oitocentos à terceira década do século findo.

    37.10€ 14.00€
  • Lisboa 1821 – A Cidade e os Políticos

    “Lisboa 1821” procura caracterizar a Lisboa e os políticos de 1821, captar o o perfil do deputados das Cortes Constitucionais, localizar as casas em que habitaram, reconstituir os trajectos que os “pais da Pátria” efectuavam diariamente, enfim, captar os mais diversos elos de ligação que se estabeleceram entre a cidade e esses políticos oriundos das mais diversas partes de Portugal, os quais animaram e apaixonaram, incontestavelmente a capital, no plano das ideias e das lutas políticas.

    34.36€ 19.00€
  • Lisboa Histórias e Memórias

    «Este livro constitui efectivamente uma selecção crítica, poética e apaixonada a um tempo, de textos e imagens referentes à época analisada. A autora soube encontrar para isso o registo e o tom certos: alimentando uma interacção constante entre imagem e texto, aberta e interdisciplinar; aceitando relatos e contributos tanto de autores estrangeiros como nacionais; integrando, num discurso gráfico fluente, fotos das mais distintas proveniências (de álbum, avulsos e postais), com os respectivos textos associados; elegendo os olisipógrafos, mas também os novelistas, romancistas e cronistas, sejam os que viveram a época estudada, ou os que, mais recentemente, a reinventaram ou romancearam; finalmente, elegendo os críticos e os defensores, as visões mais negativas e as mais positivas, no quadro do seu roteiro» José Manuel Fernandes, in Prefácio Lisboa: Histórias e Memórias surge como um convite para revisitarmos a cidade pelos olhos de escritores e de poetas, de olisipógrafos e de fotógrafos, que nela viveram ou que por ela passaram. São histórias e memórias que aqui nos ficam: de Eça de Queirós e de Ramalho Ortigão, de Bulhão Pato e de Fialho de Almeida, de Aquilino Ribeiro e de José Rodrigues Miguéis e de muitos outros. São histórias e memórias de Lisboa, que cobrem um período de cerca de cem anos, de 1850 até aos finais dos anos 40 do século passado, contadas pelos seus protagonistas, muitas delas, outras por personagens fictícias – como Severino Zambujeira, de Rodrigues Miguéis, ou Ricardo Reis criado por Saramago –, acompanhadas por imagens captadas pelas câmaras de José Leitão Bárcia, de Joshua Benoliel, de António Novais, de Cunha Moraes, de Eduardo Portugal, e de muitos outros fotógrafos.

    38.36€ 19.00€
  • Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa

    Com o presente tomo, completa-se o V volume de Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa. Este tomo é dedicado à zona de Lisboa que, com razoável aproximação, poderíamos designar por Lisboa Oriental. Além da descrição de cada monumento, o livro inclui a documentação fotográfica correspondente, o que em muito o valoriza.

    27.86€ 19.00€
  • Lisboa – História Física e Moral-2ª.Edição

    “Lisboa, História Física e Moral” é um livro de enorme fôlego que traça o perfil vivo e o carácter de uma cidade contínua no tempo. A esperada obra do historiador e crítico de arte José-Augusto França unifica as visões fragmentárias sobre Lisboa a partir do comportamento, vaidades e devoções dos lisboetas, tecendo uma história humanizada, vibrante e coerente. São 850 páginas de informação rigorosa e fascinante, que nos levam do Paleolítico à Expo 98, unindo o urbanismo e a economia à política e à cultura. «Intitula-se “História Física e Moral” esta História de Lisboa – e assim crê o autor que devem ser as histórias de todas as cidades, feitas de ruas e casas, tanto quanto de gentes que as percorrem e habitam. As pedras mortas, que se acumulam por protecção e as vivas (“ce sont hommes”, Pascal), que lhes dão sentido e necessidade, devem ser correlativas, para que a cidade exista em sua coerência. No tempo que a atravessa, os homens afeiçoam-se em engenhos e intrigas, procuram a felicidade possível, comportam-se, em suma, como seres humanos, bons e maus, ou nem isso, em seus costumes que os séculos mudam em morais e modas. E constroem por comodidade e lucro, por vaidade também, e devoção, quando foi caso disso; por necessidade de criação, nos mais nobres casos». É deste modo que abre o livro de José-Augusto França, abrindo também as portas a uma reflexão que o autor propõe: «A civilização tem origem na cidade-civitas e por isso deve sempre pôr-se em questão a própria cidade – como o é, para que o é. E se o é. Antes de contar a história de Lisboa, fica bem perguntá-lo, como o autor, aliás, já fez, em título de um primeiro curso universitário que fundou, há exactamente trinta anos». Nesta cidade, segundo o autor, «Em oito séculos e meio de história” os lisboetas foram e vão vivendo a sua mansa continuidade, com benefício do clima – e do Tejo da sua necessidade de transporte e de recuperada ecologia, se o for, numa sociedade de consumo, mais físico e financeiro que moral». E desengane-se quem supuser que «por ir tendo, desde o século XIX, mais factos e dados registados, na abundância de informação disponível, a Lisboa de 2000 é mais importante do que a de 1500 (…). A todo o momento da leitura isso deve estar presente no espírito – como o esteve à responsabilidade do historiador», afirma José-Augusto França no prefácio da obra. Lisboa, História Física e Moral cobre a existência contínua da cidade de Lisboa, abordando inicialmente o sítio geográfico e os seus primeiros habitantes, e depois as cidades romana, visigótica, muçulmana e depois cristã até ao século XXI. Sete capítulos tratam dos períodos culturais das Lisboas sucessivamente “Medieval”, “Manuelina”, “Maneirista”, “Filipina”, “Barroca”, “Joanina”, “Pombalina” e “Oitocentista” e “Novecentista”. Os dois séculos finais são designados mais directamente pela sua situação cronológica, dada a variedade e variação dos seus conteúdos culturais e orgânicos. O discurso histórico é conduzido sempre num plano geral, atento ao urbanismo e à arquitectura, com o inventário necessário, e às práticas políticas, sociais e culturais. As partes “física” e “moral” da cidade, no seu todo. Vinte e três subcapítulos, inseridos cronologicamente, tratam com maior pormenor de factos históricos e políticos, ou de criações e eventos culturais de especial significado – até à exposição mundial de 1998.

    49.97€ 28.00€
  • Bilhetes Postais Antigos do Largo do Rato à Praça D. Luís

    Percorrer o caminho que vai do Rato à Praça D. Luís, através da Politécnica, da Rua D. Pedro V, do Largo da Misericórdia, dando um salto ao Chiado, passando na Ribeira e em S. Paulo é um passeio extremamente agradável, seja qual for o meio de transporte. Hoje iremos fazer esse percurso de um modo diferente, através de bilhetes postais ilustrados, editados ao longo do século passado, que nos levam a conhecer uma Lisboa que já desapareceu e que deixou saudades; a relembrar espaços, transportes, modos de vestir; a reviver tipos populares que fazem parte do nosso imaginário, as varinas, as vendedeiras…

    21.14€ 14.00€
  • Lisboa em Movimento

    Como se modernizou Lisboa, ao longo da segunda metade do século XIX (até ao seu “final”, que, como se sabe, foi surgindo com a Grande Guerra e o seu rescaldo já em plenos anos 20), depois de, com a Regeneração, se ter garantido por várias décadas a estabilidade política, económica e social? Quais os meios materiais, técnicos, formais que, apesar de todas as contrariedades do caminho, permitiram à capital afirmar a sua contemporaneidade com a restante Europa, com as dinâmicas Américas? Constata-se que essa modernização material se efectuou em várias “frentes”, todas elas unidas pela ideia de movimento: Lisboa cresceu, alargando para mais do dobro ou do triplo a extensão dos seus limites; a cidade reestruturou as suas redes distribuindo água, luz, gás, e transportes. Finalmente dos 210 000 habitantes dos anos 1860 mais que dobrou em meio século, contando em 1910 com mais de 430 000, pouco para a Europa, muito para Portugal.

    34.36€ 19.00€
  • A Sétima Colina

    Este livro é um roteiro histórico-artístico do percurso romântico de Lisboa que parte do Cais do Sodré até ao Largo do Rato, passando pela cerca fernandina, Largos das Duas Igrejas e Camões, o Chiado, Largo de S. Roque, jardim de São Pedro de Alcântara e do Príncipe Real, Escola Politécnia, Imprensa Nacional, etc. Ao longo do pecurso é feita referencia histórica e cultural ao mais importante património aí existente: palácios, edifícios notáveis, personagens históricos, influências culturais, museus, monumentos escultóricos, etc.

    20.14€ 17.00€
  • A Arte em Portugal no Séc. XX

    Esta é a quarta edição, revista e aumentada do primeiro estudo sistemático da Arte Portuguesa no século XX, com início nas primeiras propostas “modernistas” dos anos 10, esta obra, publicada em 1974 e com três edições até 1991. Uma publicação há muito esgotada, que cobre as décadas sucessivas até aos anos 60, terminados com a composição “Começar” de Almada Negreiros. Outras obras de José-Augusto França, mais resumidas, levaram a análise dos anos 1900 até ao seu termo, mas A Arte em Portugal no Século XX continua a ser indispensável, como informação original e como reflexão crítica aos estudiosos da arte e da cultura portuguesa do nosso tempo. Nesta edição o “Quadro Cronológico da Arte Portuguesa” foi completado até 2000

    35.29€ 20.00€
  • O Triunfo do Desenho

    The Triumph of Design / O Triunfo do Desenho é o primeiro livro resultante do projecto online The Radical Designist: A Design Culture Journal, que publica artigos científicos de referência na área do design e da cultura visual. Esta edição reúne uma selecção de textos de autores prestigiados e intervenientes no domínio do design, que provêm, alguns, desse projecto, outros de conferências e outros foram redigidos a convite para esta obra. Autores: Eduardo Côrte-Real, Lara Maia Reis, Martim Lapa, João Palla Martins, Fernando Oliveira, Helena Barbosa, Anna Calvera, Vasco Branco, João Paulo Martins, Verónica Devalle, Ana Lucia Lupinacci, Luz del Carmen Vilchis, Marisa Cobbe Maass, Mauro Pinheiro, Zeynep Tuna Ultav, Carlos A. M. Duarte, Richard Buchanan, Dennis Doordan, Victor Margolin, Ken Friedman, Clive Dilnot, Keith Russell, Leslie Atzmon, Ranulph Glanville e Leon Cruickshank.

    20.14€ 14.00€
  • Mundos de Arte

    Investigação sociológica das profissões implicadas no campo das artes, rica em casos concretos, muitos deles desconhecidos do grande público, este livro constitui uma análise focada na organização social daquilo que o autor designa por mundos da arte, revelando a importância de todos os domínios e protagonistas que circundam, integram e apoiam, das mais variadas maneiras, a criação e difusão de obras de arte.

    25.71€ 17.00€
  • Palácio de Seteais Arquitectura e Paisagem

    O Palácio de Seteais foi o primeiro de muitos projectos cenográficos que Sintra e a sua serra viram nascer a partir de finais de setecentos e que foram determinantes para a paisagem de excelência que ainda hoje ali podemos observar. Ao longo de mais de dois séculos, conheceu vários proprietários e encantou gerações de sintrenses e forasteiros que por ali passaram. Perpetuado nos carnets de viajantes e na poesia e ficção de portugueses e estrangeiros, Seteais é, ainda hoje, uma das estruturas arquitectónicas mais extraordinárias do idílico cenário sintrense e seguramente um dos paradigmas do neoclássico português. A partir de documentos inéditos, aqui apresentamos pela primeira vez um estudo aprofundado e abrangente sobre as duas principais campanhas de obras, a paisagem envolvente e a literatura que imortalizou este monumento de incontornável importância para a História da Arte e da cultura portuguesa e europeia.

    19.80€ 14.00€
  • Machado de Castro – 1731-1822

    O presente volume procura contribuir para a renovação dos estudos sobre Joaquim Machado de Castro preenchendo uma lacuna evidente na actual oferta editorial. Celebrando-se os 250 anos do início da reconstrução de Lisboa após o terramoto de 1755 impunha-se evocar o autor do principal conjunto escultórico, a estátua equestre a D. José da Praça do Comércio, que qualifica simbolicamente a reedificação da cidade. Machado de Castro foi igualmente o responsável pela criação da Escola de Escultura de Lisboa cuja tradição, de geração em geração, chegou até aos nossos dias. O presente conjunto de estudos procura oferecer ao público uma visão mais completa do grande escultor revendo e ampliando o conhecimento sobre as suas facetas de pedagogo, escultor régio e criador militante na secular luta pela emancipação do estatuto do Artista.

    16.96€ 13.00€
  • Praças Reais – Passado, Presente e Futuro

    O presente volume corresponde ao crescente interesse que as praças reais, vêm registando como elemento cultural de primeira ordem na história do urbanismo e do património europeus. O colóquio Praças Reais: Passado, Presente e Futuro, estruturou-se em dois blocos autónomos. O primeiro destinado à análise do modelo da praça real, onde se procurou fixar a respectiva tipologia a par do impacto da sua difusão internacional. No segundo fez-se uma reflexão sobre a situação actual das praças reais, projectando cenários sobre a vocação futura destes espaços. Procurámos associar os interessados no passado das praças reais, a par dos envolvidos na respectiva leitura dinâmica do presente, tendo em vista a conservação e reabilitação vocacional, que estes espaços naturalmente equacionam, ao serem perspectivados olhando o futuro. Historiadores, Arquitectos, incluindo os paisagistas, Geógrafos e Urbanistas debateram durante três dias os temas eleitos contribuindo com as suas competências para uma consistente visão pluridisciplinar.

    19.99€ 14.00€
  • História da Arte Ocidental 1750-2000

    Obra há muito esgotada e agora reeditada com actualização até 2000. Trata-se da única obra deste cariz na bibliografia portuguesa, onde há muito se fazia sentir a sua necessidade, no quadro do desenvolvimento dos estudos de História de Arte.

    35.33€ 20.00€
  • A Sé do Porto

    Ao longo do século XX, a Sé do Porto, monumento de cariz medieval, foi alvo das mais profundas transformações decorrentes das intervenções de restauro e de conservação da responsabilidade da Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais (DGEMN). Centra-se esta obra entre as datas de 1929 – ano de criação da DGEMN – e 1982 – ano em que foi criado o Instituto Português do Património Cultural (IPPC), ao qual a Sé do Porto passou a estar afecta. De facto, no período em que a DGEMN interveio directamente na Sé do Porto, não só se registou uma clara mudança conceptual no modo de intervir no Património edificado (que neste caso particular se nota por volta de 1946), como também se verificou terem ocorrido profundas transformações neste edifício. Assim, o nosso principal objectivo foi apurar em que medida estas transformações contribuíram para o estado em que se encontra actualmente a fisionomia da catedral portuense, ou seja, perceber em que medida aquilo que conhecemos actualmente como sendo a Sé do Porto resulta ou não das profundas transformações de que foi alvo, particularmente, na 1ª metade do século XX. Esta problemática foi por nós estudada de uma forma comparada porque procurámos integrá-la na História do Restauro e da Conservação do Património Edificado Português. De um modo inédito, a pesquisa que realizámos veio ainda a revelar que toda esta atenção especial dada em Portugal aos Monumentos, ao longo do século XX em particular, teve a sua origem em todo um ambiente cultural e teórico que se foi paulatinamente desenvolvendo na cidade do Porto, a partir da acção de sensibilização protagonizada por Joaquim de Vasconcelos e por Marques Abreu e que depois se estendeu a um grupo maior, ainda que restrito: o Núcleo do Porto, que adoptou como causa o Culto dos Monumentos.

    28.10€ 18.00€
  • Goa. A Arte dos Púlpitos

    A autora estuda o acervo de púlpitos maneiristas, barrocos e rococós espalhados por igrejas e capelas do território goês, que ainda subsistem em número avultado.

    15.90€ 12.00€
  • Rafael Bordalo Pinheiro

    Este é um livro sobre a vida e obra de Rafael Bordalo Pinheiro (1846-1905): um valioso estudo biográfico de um grande desenhador, caricaturista, ceramista, jornalista e pensador. Mas é também uma peça fundamental para a compreensão da História política e social de Portugal (e mais especialmente Lisboa) do final do século XIX – sobre o estado das coisas no fim do período monárquico. O livro contém mais de 70 páginas de trabalhos – reflexões em desenho –, feitas com o humor mordaz de Bordalo Pinheiro, sobre a ética e a política que em muitos aspectos talvez não tenham perdido actualidade…

    28.77€ 18.00€
  • O Mobiliário das Elites de Lisboa no Final do Século XVIII

    O Mobiliário das Elites de Lisboa na segunda metade do século XVIII é já um título de referência no panorama da historiografia do mobiliário português. Através do estudo do mobiliário, apercebemo-nos que o período entre 1750 e 1800 foi em Portugal um tempo de profundas mudanças no modus vivendi das elites europeias. Alterações no requinte da estruturação das suas habitações, na diversidade de objectos das chamadas artes de mesa, na quantidade de peças dos recheios, porque novos hábitos podem exigir peças diferenciadas das existentes para os integrar ou corporizar. O autor, Carlos Franco, é licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Mestre em História das Artes Decorativas pela Universidade Católica Portuguesa onde prepara, actualmente, uma dissertação de doutoramento sobre os ambientes decorativos das casas das elites de Lisboa na segunda metade do século XVIII e primeiro quartel do século seguinte.

    20.04€ 14.00€
  • A Cripto-História de Arte

    O conceito de Cripto-História de Arte – a vertente da história que se ocupa do património artístico desaparecido, merece ser considerado, pois a História de Arte não se faz só com recurso a obras vivas. Também as obras que não sobreviveram à incúria, às calamidades e ao vandalismo fazem parte íntima deste campo de sondagens abrangentes e percepções sensoriais. Assim, a Cripto-História da Arte atenta no que papel que as obras dsaparecidas possam ter assumido em termos históricos, iconológicos, políticos, ideológicos e, sempre, estéticos.

    21.14€ 14.00€
  • A Basílica da Estrela

    O presente livro é o primeiro ensaio de sistematização da construção da Basílica da Estrela e o rigoroso trabalho de investigação levado a cabo resulta na criação de novas hipóteses interpretativas daquele que seria o alcance último deste principal empreendimento do reinado de D. Maria I. Com uma leitura renovada da obra, descortina-se um programa monumental bastante mais ambicioso do que aquele que nos é dado observar.

    20.19€ 14.00€
  • Arquitectura e Poder – O Real Edifício de Mafra

    Construção mítica e sobretudo, mitificada, o Palácio-Convento de mafra, seguramente uma das maiores construções jamais tentadas em Portugal, excitou, como poucas, a verve de panegiristas e (mais ainda) detractores. Outro tanto se poderá dizer de D. João V, o faustoso soberano que lhe ordenou a construção, unidos que ambos ficaram, indissoluvelmente, na (má) memória colectiva. Foi este o ponto de partida da investigação do autor: a convivção de que “cristalizada nas pedras que o passar dos séculos vai lentamente corroendo, jaz uma sociedade inteira, com os seus anseios, as suas dúvidas, os seus sonhos sempre semi-realizados”. E de que “essa comunidade invisível, esse fantasma de sociedade, plasmou-os o artista, conscientemente ou não, na obra feita”. Ao termo, descobriria um edifício fascinante como poucos. Uma utopia – a cidade mármore. E um tempo também, um tempo de confronto, onde passado e presente se debatem num diálogo permanente e apaixonante, que acabaria por configurá-lo como um dos mais interessantes e singulares momentos da cultura portuguesa.

    23.79€ 16.00€
  • A Igreja de Santa Catarina

    Outrora templo conventual, a igreja de Santa Catarina, na Calçada do Combro, alberga um espólio artístico dos mais ricos de Lisboa, no qual se destaca o grandioso retábulo-mor de talha dourada, encomendado em 1727. Último sobrevivente de um conjunto de retábulos de talha dourada de grandes dimensões, destinado a guarnecer as capelas-mores dos templos da capital, este altar-mor da igreja de Santa Catarina apresenta-se como um testemunho ímpar, quer da concepção do sagrado vivida à época da sua execução, quer da excelência artística dos nossos mestres entalhadores. Neste livro encontramos explicações, contextualização histórica e artística, feita pela autora – Doutorada em História da Arte –, que recorre frequentemente a citações de correspondência, contratos e outros textos da época. O livro é ainda ilustrado com fotos e imagens.

    20.19€ 14.00€
  • As Colecções de D. João IV no Paço da Ribeira

    No trabalho que agora apresentamos pretendemos dar a conhecer, de modo introdutivo, as colecções artísticas de D. João IV. Abordaremos sobretudo a temática das preciosidades que reuniu ao longo da vida, talvez de longe as suas colecções mais importantes e por si estimadas. Os estudos sobre ourivesaria e joalharia que temos realizado fizeram-nos reunir nos últimos anos variada documentação inédita sobre as colecções do “Restaurador” e que são objecto desta edição. Fundamentalmente, desejamos divulgar neste pequeno trabalho um corpus documental relacionado com o coleccionismo joanino – com realce para os apontamentos reunidos pelo mantieiro e fiel secretário particular do “Restaurador”, António Cavide –, que esperamos vir a ser útil a uma outra série de estudos, relativos à figura do “Restaurador” e da sua época, não se resumindo, de modo algum, apenas ao coleccionismo ou à arte. Por outro lado, toda esta documentação permitirá igualmente auxiliar o estudo da joalharia em Portugal nos meados do século xvii – os inventários das jóias são particularmente desenvolvidos –, época de transição em que dentro da interpretação da história da arte se entrecruzam duas produções ou tendências artísticas: por um lado evidencia-se o crepúsculo da longa tradição renascentista e por outro, o emergir da jóia barroca com o triunfo das pedrarias.

    26.25€ 18.00€
  • Monserrate – Uma Nova História

    Sabia-se a que Monserrate nunca fora bem estudado e avaliado o seu valor; que nas influências citadas faltava o mais conhecido dos palazzos venezianos. Mas um novo estudo desvela agora pela primeira vez aquilo que era visto como um enigma: a sua semelhança com obras de Itália. Os criadores do palácio de Monserrate, oa arquitectos Knowles, terão lido The Stones of Venice, de John Ruskin, e foram influenciados pelo autor. Conclui-se nesta obra magistral que há um “Italianate” em Sintra. Isto é, um Venetian Gothic Revival – de primeira geração – como os melhores edifícios da Londres vitoriana. Um livro, de Glória Azevedo Coutinho, que conjuga a beleza com informações preciosas e inéditas na área da Arquitectura e história da Arte.

    29.68€ 18.00€
  • Artes e Revolução. 1974-1979

    Após a Revolução do 25 de Abril de 1974 a Censura foi abolida e a liberdade de expressão conquistada. Artistas, grupos, instituições e movimentos associativos envolvem-se em acções culturais, cívicas e políticas. Quase todas as galerias encerram as suas portas ou suspendem a actividade ao mesmo tempo que se ensaiam novas relações entre a arte e o público. Atitudes e provocações aos valores, instituições e mentalidades estão na ordem do dia. O Movimento Democrático dos Artistas Plásticos, o Mural do Mercado do Povo em Belém, a Alternativa Zero, o Centro de Arte Contemporânea no Porto, os Encontros Internacionais de Arte, as intervenções plásticas de rua, ou os grupos como o Acre e o Puzzle marcaram um período, simultaneamente próximo e já distante, de entusiasmo revolucionário e de agitação colectiva,. A obra ARTES E REVOLUÇÃO 1974-1979 retrata essa época de abertura e instabilidade, de esperanças e de contradições que se viveram no mundo das artes plásticas, percorrido também pelas clivagens do tempo.

    24.23€ 16.00€
  • Um Português em Roma – Um Italiano em Lisboa

    Quanto a João António Bellini, foi provavelmente o facto de não ser um escultor de primeira qualidade que o trouxe da sua Pádua natal até ao nosso país, onde procurou e encontrou boas oportunidades de trabalho. Acerca da sua obra, procurou-se essencialmente organizar e acertar os elementos já conhecidos e promover uma sistematização capaz de facultar uma visão da evolução do seu trabalho e, sobretudo, reconhecer características passíveis de funcionar como definidoras da sua maneira de esculpir. O que parece certo é que a sua obra e a mobilidade inerente à sua concretização no nosso país resultam essencialmente dos dois factores que ao longo do texto reconhecemos e procurámos clarificar: a parceria artística com o arquitecto João Frederico Ludovice e a relação com o grande encomendador que era a Companhia de Jesus, no Portugal da primeira metade da centúria de Setecentos. Da investigação desenvolvida acerca da actividade e produção dos dois escultores fica-nos porém a evidente convicção de que a obra apurada é apenas uma parte daquela efectivamente realizada. Finalmente, pensamos poder afirmar, apesar do muito que permanece por saber, que com a investigação realizada em torno destes dois artistas contribuímos para um melhor conhecimento da tão fértil produção artística que marcou o reinado do Magnânimo e parte do período subsequente, da sua riqueza e das suas contradições.

    15.90€ 12.00€
  • A Construção da Cidade Brasileira

    A Construção do Brasil Urbano; A Urbanização do Brasil Colónia: a matriz cultural portuguesa; A Componente Religiosa na Urbanização do Brasil; Os Engenheiros-Militares na Construção da Cidade; A Formação da Rede Urbana Brasileira; O Cruzamento de Culturas Urbanísticas; A Permanência de Princípios Nuno Portas Manuel C. Teixeira Maria Rosália P. Guerrreiro Luiz Antônio Bolcato Custódio Murillo Marx Margarida Valla Benedito Lima de Toledo Beatriz P. S. Bueno Rafael Moreira Maria Helena Ochi Flexor Cláudia Damasceno Fonseca Lisete Assen de Oliveira Ramón Gutiérrez José Luiz Mota Menezes Ivone Salgado Fernando Augusto Albuquerque Mourão

    33.92€ 18.00€
  • Escultura Barroca Italiana em Portugal

    As obras de escultura perduram no tempo, muito para além dos artistas que as realizaram, muito para além das personalidades que representam. A resistência da escultura pétrea às tantas formas de erosão que o tempo consigo transporta é de facto notável, porém, muitas são também as obras de cuja existência possuímos notícia mas que não chegaram até nós. Assim, quando nos dedicamos a abordar o tema da escultura barroca italiana existente em Portugal é de sobrevivências que falamos. Este livro tem a pretensão de cativar a atenção do leitor para a escultura em geral, ainda que trate unicamente de escultura barroca italiana, certamente aquela que do trio das artes ditas maiores recebe menor atenção e consequente menor número de estudos. Trata-se de um livro dominantemente caracterizado pela diversidade, porque feito de vários textos. Com efeito, nele se reúne um conjunto de textos escritos acerca de obras de escultura pétrea barroca italiana cuja relação entre si consiste essen-cialmente na época da sua realização – os séculos XVII e XVIII – e na sua origem geográfica – Itália. Factor de união neste contexto de diversidade é ainda o facto de todas as obras abordadas se encontrarem em Portugal e poderem, na sua maioria, ser apreciadas através de uma observação directa por parte do leitor mais interessado.

    18.02€ 14.00€
  • A Louça de Viana

    O livro A Louça de Viana. Na época áurea da faiança portuguesa, ilustrado com mais de cem belíssimas reproduções de espécimes de cerâmica artística, surge num momento de alguma incerteza perante o futuro, em que os riscos de estagnação na área desta forma de arte se multiplicam, e no qual se augura que a recuperação da história da faiança de Viana possa contribuir para estimular a inovação e a criatividade. Deseja-se, com este livro, contribuir para o futuro da cerâmica artística, que já no último quartel do século XVIII e na primeira metade do século XIX, apesar das perturbações políticas, sociais e económicas que afligiram o país, ficou ligada a uma das mais singulares experiências de vivência estética, a nível da produção, não erudita, e da presença da arte no quotidiano de uma multidão de cidadãos, que não apenas os mais afortunados.

    35.33€ 15.00€
  • O Retrato na Arte Portuguesa-2ª.edição

    Marcada pelas criações de Nuno Gonçalves e Sequeira, Columbano e Soares dos Reis ou Almada Negreiros, a prática do retrato assume uma importância especial na história da Arte em Portugal. A partir do programa de uma exposição malograda em 1967 no Museu Nacional de Arte Antiga, José-Augusto França esboçou o percurso estético e social d’ O Retrato na Arte Portuguesa, publicado agora em 2.ª edição revista e aumentada desta obra há muito esgotada. Índice: Dos Túmulos Góticos a Nuno Gonçalves O Retrato Humanista O Retrato de Aparato De Sequeira ao Romantismo Do Realismo a Columbano Do Modernismo à Actualidade Possível Sobre o Sentido do Retrato em Portugal Índice Onomástico Extratexto com reproduções de mais de 90 retratos

    19.08€ 14.00€
  • Imagens do Portugal Queiroziano

    – Grande panorama! – disse o conselheiro com ênfase. – E encetou logo o elogio da cidade. Era uma das mais belas da Europa, decerto, e como entrada só Constantinopla! Os estrangeiros invejavam-na imenso. Fora outrora um grande empório, e era uma pena que a canalisação fosse tão má, e a edilidade tão negligente! [O Primo Basílio, cap. VII] O propósito essencial deste trabalho é fixar fotograficamente as paisagens naturais e urbanas e os edifícios descritos na novelística de Eça de Queiroz, respeitantes a Portugal, tal como hoje se nos deparam,e, em alguns casos, através de imagens da época, complementando essas imagens com os textos que lhes correspondem.

    60.57€ 22.00€
  • O Romantismo em Portugal

    OS ANOS DE INOCÊNCIA (antes de 1835) OS ANOS DE LOUCURA (1835-1850) OS ANOS DA RAZÃO (1850-1865) OS ANOS DA CONTESTAÇÃO (1865-1880) OS ANOS DA SOBREVIVÊNCIA (após 1880)

    27.68€ 18.00€
  • Guimarães. Património da Humanidade através do bilhete postal ilustrado

    Neste livro, José da Silva Passos evoca a cidade de Guimarães em 244 bilhetes postais ilustrados topográficos, num misto de homenagem e emoção pela sua classificação como Património da Humanidade em 2001. Através destas belíssimas reproduções é-nos possível, ainda, visitar “sítios de cultura e história” como Azurém, Caldas das Taipas, Citânia de Briteiros e São Torcato.

    46.64€ 16.00€
  • Artistas, Imagens e Ideias na Pintura do Século XVIII

    Pretende-se com esta obra fornecer alguns contributos para o conhecimento e divulgação das práticas artísticas e processos de produção, da iconografia e da função das imagens, bem como das estéticas e poéticas de um dos períodos mais ricos da nossa História da Arte. Divide-se o Trabalho em 3 partes: Mestres, Imagens e Ideias que abordam cada um dos aspectos principais na produção pictórica setecentista. Aqui se analisam os percursos de alguns artistas (André Gonçalves, Vieira Lusitano, Joaquim Manuela da Rocha); os fundamentos teológico-conceptuais na criação das imagens; bem como as ideias subjacentes ao processo criador da pintura nacional. Fruto de uma abordagem dinâmica e pluridisciplinar, este livro propõe-se assim lançar novos fundamentos para o estudo da criação artística, onde a História da Arte se contextualiza com as ideias produzidas noutras áreas da cultura.

    16.91€ 13.00€
  • Fotógrafos “à La Minuta”

    Hoje, quase desapareceram os fotógrafos “à la minuta”. Como tantas outras profissões, que os novos costumes e a tecnologia tornaram pouco rentáveis e fora de moda, eles estão em vias de extinção. E, todavia, não há muito anos era vê-los nas praças, nos jardins, junto aos monumentos mais visitados, em locais estratégicos de vilas e cidades, em sítios de encenação natural e publicidade garantida. Disparado o clique, após rápidas e atenciosas poses, mão habilidosa mergulhava na escuridão do caixote e, em poucos segundos de experientes truques e manipulações, de lá extraíam um pedaço de papel húmido e brilhante com a imagem desejada. Mais uns instantes ainda, de lavagem e secagem, e ei-la pronta para ser retrato, recordação, fetiche, página de álbum, galeria de memórias, ex-voto de promessas e devoções. Apesar do seu contributo inestimável para a popularização da fotografia, eles têm sido praticamente esquecidos. Era pois urgente que, enquanto ainda existem, fossem objecto de estudo e divulgação, como bem o compreendeu José Borges ao dedicar-lhes este livro. ARTUR GOULART

    44.52€ 16.00€
  • A Igreja Românica de São Pedro de Rates

    O objectivo deste livro é tornar facilmente acessível aos visitantes da Igraja Românica de S. Pedro de Rates, situada no concelho da Póvoa de Varzim, a sua compreensão e conhecimento, os seus antecedentes, a sua génese, em suma.

    16.62€ 13.00€
  • A Luz e a Paisagem. Criar Paisagens Nocturnas

    Roger Narboni prossegue aqui a sua reflexão sobre a luz urbana, tarefa na qual se vem empenhando há quinze anos. Fá-Io ao colocar a questão da relação da luz urbana com a paisagem, domínio em constante mutação. Nesta obra se explica como a correcta iluminação de uma paisagem pode desempenhar um verdadeiro papel de catalisador, ao revelar toda a sua beleza e diversidade e ao encorajar, simultaneamente, a sua redescoberta ao cair da noite. As montanhas, as colinas, o mar, os rios, as florestas ou, ao invés, as paisagens urbanas ou industriais: todos têm um imenso potencial de encenação nocturna. Produzido a partir do olhar de um designer de luz, este livro é dirigido a todos os que trabalham neste campo e apresenta-se como um valioso auxiliar para todos os donos de obra e responsáveis técnicos.

    63.60€ 22.00€
  • Postais Ilustrados. Eça de Queiroz

    As mensagens contidas nos bilhetes postais de Eça para os seus familiares, apesar de muito simples e breves, suscitam questões pertinentes que dizem respeito à personalidade do autor, às suas relações com os filhos e ao seu estado de saúde, inexoravelmente fragilizado nos últimos anos de vida. Como ilustrações, esses postais apresentam um valor intrínseco de carácter histórico, antropológico e iconográfico que se nos impõe à primeira vista.

    25.14€ 15.00€
  • Estações Ferroviárias Portuguesas

    Pode causar uma sensação curiosa a visão de estações que nos aparecem como conhecidas e, simultaneamente, desconhecidas – Amadora, Sintra, Rossio, Campanhã –, e outras, onde se reconhece algo do que estamos habituados; o relevo, por vezes exactamente os mesmos edifícios principais e até mesmo algo dos edifícios em redor, mas em que tudo o resto é bem distinto da actualidade: os comboios, as pessoas, a construção envolvente, o ambiente, até mesmo o ritmo de vida transparece das imagens. Pedaços cristalizados de um tempo totalmente outro. As estações são paragens. E estas são paragens no tempo. Através dos postais lançamos um olhar através de uma janela, para a época das grandes locomotivas e da tecnologia pesada, mas também para o modo de vestir, a Arquitectura, a publicidade, os preços. Para maior facilidade de consulta, inseriu-se na página de abertura de cada região, um mapa com a localização de todas as estações representadas no álbum.

    37.86€ 18.00€
  • Destino de Peixe

    «O título, “Destino de Peixe”, […] abre-nos as portas da imaginação: os barcos abandonados nos sapais, as redes como espuma ao vento, o céu e os mares azuis a perderem-se no horizonte. Na complementaridade dos seus Poemas e Fotografias, as autoras transmitem-nos um olhar pleno de intimidade sobre um Portugal que os que aqui nascemos, tendemos muitas vezes a ignorar. Um olhar que é ao mesmo tempo poético e antropológico, pictural e sentimental. Não um simples retrato, afinal, mas uma procura sensível deste país e da memória histórica da sua atitude em face do “Mar – Oceano” em contraponto com o destino – o destino do peixe e o destino do homem que se cruzam: “Rezem para que as almas dos pescadores regressem”, “… peixes, cujas almas fogem a voar.” “História familiar” do peixe-alimento e do peixe-imaginário. Visão patente nos pratos de cerâmica decorativa que trazem o mar e o peixe para o quotidiano das nossas casas. As meta-fotografias de Brigitte d’Ozouville mostram-nos múltiplas dimensões desta realidade e revelam-na nas abstracções das tintas usadas pelo tempo e pela salsugem ou no entrelaçado das redes modelando a dinâmica das vagas. Universo marcado pela presença do homem como deus ex-machina, o braço que controla a chave do mundo tecnológico em que o pescado se empilha nas “…caixas metálicas bem fechadas” nas palavras de Isabelle Lebastard. » Professor Mário Ruivo

    20.14€ 12.00€
  • Povoações Históricas de Angola

    Para todos os que conhecem Angola, é um álbum de recordações. Para quem não conhece é o convite a uma experiência única: Uma viagem pelas Povoações Históricas de Angola. Este álbum apresenta fotos de grande beleza artística de diversas povoações de Angola, apresentando-nos um levantamento metódico de sítios e da arquitectura de há cerca de meio século atrás. O texto, que o editor optou por conservar sem alterações, está datado, mostrando-nos o enfoque, o ponto de vista de uma época. As imagens, a preto e branco, de profunda expressão plástica, possuem uma intensidade única. Mais que um álbum, o livro é uma sucessão de janelas para outro espaço e tempo, através das quais conseguimos quase sentir os cheiros, o calor da terra e o pulsar da vida.

    38.16€ 18.00€
  • The Smooth Guide to Travel Drawing

    Esta obra bilingue, em inglês e português, é literalmente um guia suave para o desenho em viagem. O seu autor, Eduardo Côrte-Real, Doutorado e docente em Desenho, apresenta aqui uma valiosa introdução com conselhos e indicações para todos os que pretendem aprofundar conhecimentos em Desenho, seguido de uma mostra rica dos seus desenhos a mão livre de vistas tomadas das mais diversas situações e países em todo o mundo. “Nesta obra, o artista funde-se com a paisagem, seja cidade ou montanha, árvore ou cadeira. O artista torna-se ele próprio um traço dinâmico e veloz que nos puxa gentilmente para as cores, os sons, os cheiros de cada um dos sítios e acaba assim por nos revelar novidade no mais visto dos lugares. E melhor: vai-nos sussurrando os modos de fazer, como se viajássemos nos passos e com os olhos de Eduardo Corte Real. Um autêntico miradouro portátil, este The Smooth Guide To Travel Drawing.” João Paulo Cotrim

    22.20€ 15.00€
  • Geração Africana-2ª.Edição

    Este trabalho parte da noção de que a arquitectura e o urbanismo de raiz portuguesa, afirmados ao longo do século XX – e que têm merecido amplo estudo na área europeia e ibérica, nos anos mais recentes – só serão completa e coerentemente entendidos se for estudada a sua presença e paralela afirmação nas áreas ultramarinas. Escolhendo os territórios de Angola e de Moçambique – os mais signi-ficativos no tempo considerado, entre as várias áreas ex-coloniais –, o presente ensaio pretende constituir um primeiro contributo para aquele estudo, que se deseja venha a ser cada vez mais global. É também importante referir que se entende e interpreta aqui o “Século XX” como tendo, no contexto português, o seu verdadeiro ou efectivo início após a I Guerra Mundial, aproximadamente no dealbar do segundo quartel de novecentos. Por outro lado, este estudo incide sobretudo na fase histórica até 1975 – ou seja, até ao tempo das independências dos espaços africanos considerados – pois obviamente se trata aqui de analisar a temática urbano-arquitectónica de raiz, influência e contexto cultural português, aspecto que se transforma totalmente depois dessa data. Desta forma, falar do tema arquitectura-urbanismo na “África Portu-guesa” é sobretudo falar do meio século situado entre 1925 e 1975. Na presente obra faz-se a articulação da informação histórica, publicada ou inédita, com dados mais recentes, e com uma recolha oral e audiovisual fruto de testemunhos directos procurando organizar uma reflexão e uma primeira síntese sobre essa documentação e esses testemunhos. É ainda necessário referir e justificar que o entendimento do presente estudo é o de articular a experiência urbana e urbanística com a obra e a prática arquitectónicas – tanto mais que muitos dos profissionais envolvidos e aqui referidos trabalharam nos dois campos em simultâneo – pois entendemos aqueles dois campos de criação e de conhecimento como complementares, indissociáveis e, num certo sentido, interactivos.

    31.80€ 18.00€
  • A Arquitectura Gótica em Portugal

    A época da expansão da arquitectura gótica é uma das mais brilhantes da arte europeia. É a época em que em França e em Inglaterra, nos países escandinavos e na Península aparece um estilo que é novo sob os aspectos da estrutura e da decoração e que constitui uma das manifestações mais originais da civilização ocidental. A essa época pertencem em França as catedrais de Paris, Laon, Bourges, Chartres e Amiens e em Portugal os grandes conventos de Alcobaça, Batalha e Santa Maria de Belém, as catedrais de Évora, Viseu, Silves e Guarda e numerosos mosteiros e castelos edificados no centro e no sul do país. Depois de descrever os monumentos que representam a fase inicial da Arte Gótica no nosso país, o Professor Mário T. Chicó estuda as igrejas das ordens mendicantes e a sua influência no Mosteiro da Batalha e em numerosas igrejas manuelinas. Analisa ainda as construções renascentistas em que se mantêm vestígios estruturais e decorativos do novo estilo e a escultura que aparece nos princípios do século XIII e adquire considerável importância no fim da Idade Média e no reinado de D. Manuel.

    25.22€ 17.00€
  • Carlos Botelho – Os Anos Diferentes

    Neste catálogo a riqueza de conteúdos e a simplicidade tiveram um encontro faliz. O período abrangido é, fundamentalmente, composto por um surpreendente conjunto de trabalhos, com grande incidência nos anos 50 e desconhecido do público. Só por si, e sem repetir iniciativas anteriores em torno da obra de Botelho, este conjunto que agora se apresenta é um inequívoco contributo não só para o conhecimento crítico e especializado, como também para todos os que têm a paixão da cidade e dos seus pintores.

    21.43€ 18.00€
  • Anos de Ruptura – Arquitectura portuguesa nos anos sessenta

    Este catálogo centra-se numa escolha de dez autores/obras a arquitectura portuguesa. São trabalhos produzidos à volta da década de 1960, que traduzem expressões contrastantes e geografia díspares – deixando entrever um desejo de diversidade, ou uma vontade de renovação, que tanto caracterizaram esse tempo de mudança. Efectivamente, depois da reafirmação universal da arquitectura moderna no pós-guerra. Institucionalizada como «Estilo Internacional», segue-se o período das dúvidas, das divergências e da procura por novos caminhos. É o tempo da recusa universal de regras unificadoras; do combate à uniformização das linguagem(s) arquitectónica(s); e da prática individualista, assumidamente anti-totalitárla. Os «anos 60» foram em todo o mundo ocidental uma época de «afirmação das diferençaa» com o despontar da «nova cultura» de uma desenvolvida classe trabalhadora e média. Mas em Portugal a modernização da arquitectura. dos seus programas e escala de intervenção, vai ainda colidir, em tensão permanente, com as barreiras da «conjuntura» política e do isolamento cultural.

    21.43€ 15.00€
  • Anos de Ruptura – Uma perspectiva da arte portuguesa nos anos sessenta,

    Anos de Ruptura – Uma Perspectiva da Arte Portuguesa nos Anos 60 reúne vinte e sete artistas que concretizaram uma nova cultura visual na arte portuguesa. A situação de ruptura então criada não se verifica no plano das condições sócio-materiais da vida artística portuguesa, apesar das mudanças significativas, mas no posicionamento cultural das obras e dos seus autores. O isolamento do regime totalitário, obrigando a maioria dos artistas à emigração ou a longos estágios em Londres, e as alterações profundas na vida artística internacional, foram factores decisivos na ruptura definida por: entendimento da actividade artística de um ponto de vista mundial; consciência do sujeito individual como centro da criação artística e a realização desta em função do momento histórico; o livre trânsito das referências indissociável de um relacionamento electivo e integrante com a tradição das artes.

    37.01€ 22.00€
  • Croquis de Viagem

    Este é um livro de croquis que não nasceram para se expor, mas plenos de riqueza no mundo sensível da mão que olha mas não vê, e sente mas não fala. Trata-se de um belo testemunho de aprendizagem e reflexão, que sentimos o dever de fixar, para que outros leiam o que se ‘esconde’ atrás da evidência simples da obra acabada e pronta para consumo. Quando em Portugal se fala de Design, o nome de Daciano da Costa é incontornável. Os exemplos da sua obra e do seu percurso enquadram-se nessa sábia Utopia “fazer aprender” sobre um projecto que nunca acaba…

    26.44€ 18.00€
  • Mater Misericordiae

    A obra que o Museu de S. Roque da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa agora publica tem um objectivo bem simples. Trata-se, fundamentalmente, de abordar o tema iconográfico da Virgem da Misericórdia, Mater Misericordiae, conhecida na arte cristã ocidental desde o século XIII. Apesar da simplicidade da representação simbólica de Nossa Senhora, com o manto protector, aberto sobre a humanidade, não será tão simples precisar a origem deste modelo.

    24.84€ 15.00€
  • O Urbanismo Português, Séculos XIII-XVIII

    O tema deste livro é a História Urbana portuguesa até ao final do século XVIII. Nele se abordam as principais etapas do urbanismo planeado em Portugal, através do estudo detalhado de núcleos urbanos que constituem exemplos significativos das principais fases de evolução e dos principais tipos de traçados urbanos em Portugal. Estes estudos de casos abrangem também cidades brasileiras, tendo em conta que a história urbana portuguesa e brasileira são indissociáveis e complementares entre si. A pesquisa foi baseada fundamentalmente na recolha e na leitura de cartografia histórica, com base na qual se representaram graficamente as sucessivas fases de evolução dos núcleos urbanos estudados. A principal cartografia que serviu de base ao estudo é também reproduzida, de forma a fornecer aos leitores instrumentos suplementares para a compreensão da evolução das formas urbanas de origem portuguesa.

    62.93€ 22.00€
  • Cidades e Arquitecturas

    Década e meia de viagens de estudo. trabalho ou simples passeio levaram o autor aos mais diversos locais do mundo, entre mares, ilhas e continentes; através dessas viagens pôde conhecer e comparar inúmeras cidades e suas arquitecturas, antigas ou modernas, construídas anonimamente ou por arquitectos consagrados. Descrever e analisar o espaço urbano e as obras nele construídas, comparar as cidades e suas arquitecturas, constitui desde sempre um exercício empolgante, pois deste modo se podem compreender aspectos das culturas envolvidas, as suas características profundas, até mesmo os contrastes civilizacionais que elas enfrentam, num tempo de desenvolvimento tão extraordinário como contraditório. Esta colectânea de artigos e textos diversos, redigidos desde 1985, inclui temas como o dos espaços trans-oceânicos de histórica influência portuguesa, a visita a diversas urbes da europa, e às vastas metrópoles da América, Ásia e África.

    37.01€ 18.00€
  • Costumes Portugueses

    São 160 postais ilustrados da primeira metade do século xx, seleccionados por este importante coleccionador que, através da sua reprodução em livro, quer manter vivo na memória colectiva o melhor da nossa tradição. É assim que ante os nossos olhos desfilam o Gaiteiro, a Tricana de Coimbra, as pequenas Vindimadeiras de Évora, as Ovarinas de Lisboa, a Cegadeira de Caldelas, entre muitos outros personagens típicos de outros tempos. Mas de costumes trata esta obra e por isso aqui vamos encontrar os característicos trabalhos rurais – a tralhoada, a apanha da cortiça, a descamisada, a monda, a colheita da azeitona –, e marítimos – a apanha do sargaço, a arrematação da sardinha, a chegada do barco carregado de peixe, o transporte do vinho do Porto… pedaços da alma portuguesa que urge preservar.

    32.78€ 15.00€
  • O Palácio de Queluz

    Este estudo propõe-se reconstituir a história do Palácio de Queluz relevando a sua importância estética não só para a história da arte em Portugal como também para a história da arte europeia. Numa primeira parte faz-se uma introdução sobre os estilos considerados fundamentais para a compreensão do estilo adoptado em Queluz, elaborando-se depois a descrição histórica das diferentes fases construtivas. Conclui-se com uma parte dedicada à projecção artística do Palácio.

    39.65€ 22.00€
  • Ilustrações e Ilustradores na Obra de Eça de Queiroz

    A recolha das ilustrações da obra de Eça de Queiroz aqui apresentada, que abrange um período de 130 anos – entre 1871, data da capa de As Farpas, concebida por Manuel de Macedo, e Outubro de 2001, data do desenho de António inspirado pelos textos da polémica Eça-Pinheiro Chagas –, constitui nos estudos queirozianos uma absoluta novidade, de que a sua bibliografia carecia. A escrita eminentemente imagética do autor de A Relíquia facilita expressões plásticas de forte recorte visual, que vêm complementar o seu estilo inconfundível. Este álbum contém cerca de 600 gravuras que recriam personagens, episódios, diálogos e cenas, de que cada leitor terá já construído, mentalmente, uma imagem, que pode agora confrontar com estas interpretações. Assim se irá coroar, indelevelmente, o surto enorme de publicações que as comemorações queiro-zianas do ano 2000 suscitaram, evidenciando, uma vez mais, a qualidade única desse grande artista que foi Eça de Queiroz.

    47.58€ 18.00€
  • Solares Portugueses

    O autor não pretende apresentar a história das residências – tarefa quase sempre difícil pela escassez de elementos informativos – mas sim caracterizar a casa nobre portuguesa e apresentar um esboço da sua evolução através dos tempos, tarefa que não fora tentada ainda com tal desenvolvimento. Além disso, o livro não se dirige apenas a historiadores de arte mas sim a todos os que se interessam pelo estudo do nosso património artístico. Assim, o texto tem por objectivo fornecer dados essenciais para se «ver» a nossa arquitectura doméstica de carácter erudito, expressão insuperada do temperamento e sensibilidade do posrtuguês. É, portanto um livro que no seu alcance didáctico e na forma como se apresenta, sai fora da linha de certos trabalhos que temos apresentado.

    51.27€ 22.00€
  • O Mistério da Estrada de Ponte do Lima – António Feijó e Eça de Queiroz,

    Apresentam-se, nesta edição, estreitas e até agora desconhecidas relações de amizade entre o poeta António Feijó e Eça de Queiroz e até surpreendentes afinidades entre ambos. Coincidência extraordinária é Feijó, a caminho de Estocolmo, onde era diplomata, ter ido a Neuilly com a intenção de participar o seu casa-mento ao casal Queiroz, na altura em que o romancista falecia. Constituem um precioso testemunho os comentários do poeta à personalidade e à obra de Eça de Queiroz, cuja estatueta, modelada por Francisco da Silva Gouveia em 1900, ele tinha sobre a sua secretária chamando-lhe «o nosso ídolo». O motivo principal deste livro é, todavia, a publi-cação integral de O Mistério da Estrada de Ponte do Lima, ou História dos Carecas, divertida efabulação engendrada por António Feijó, em 1880, no jornal O Comércio do Lima, de evidente inspiração queiroziana, que alvoroçou a sua terra natal e permanece, ainda hoje, na memória de muitos pontelimenses. A carta de António Feijó a João Gomes (cap. III), onde o poeta evoca a criação dos «Carecas», 32 anos mais tarde, constitui um dos mais interessantes e mais vivos documentos da sua extensa correspondência. Complementa a edição uma antologia de poemas de António Feijó e algumas cartas inéditas.

    21.14€ 12.00€
  • Ver pelo Desenho

    33.83€ 15.00€
  • Dicionário de Citações de Eça de Queiroz

    Citações de textos de Eça de Queiroz recolhidas e organizadas por A. Campos Matos.

    29.28€ 18.00€
  • Félix de Avelar Brotero. Uma História Natural

    30.29€ 18.00€
  • Almada Dixit

    Se quem pela primeira vez pega neste livro cuida que ele é só para “intelectuais”, desengane-se. Não raro os tais “intelectuais” são pessoas que lêem mais do que pensam e (pior que isso) perderam “o sagrado dom da Ingenuidade”. Almada não é para esses – nem esses para Almada! O célebre programa Zip-Zip foi um dos sucessos estrondosos da nossa TV. E o mais estrondoso dos seus sucessos foi (pela primeira e única vez na TV!) a comparência de Almada em cena. Não foi nenhum “intelectual” quem lá o levou. Creio que nenhuma das pessoas que enchiam o Teatro Villaret, nem os apresentadores do programa, eram “intelectuais”. Eram “gente do povo” – do “nobre povo”, que isto de verdadeira nobreza não tem assim tanto a ver com classes sociais. E Almada falou e, no seu estilo peculiar, logo cativou e rendeu os presentes que, com a sua sagrada Ingenuidade, claramente viram que, ali defronte, se perfilava um grande e autêntico Homem. E logo nos dias seguintes, na Feira do Livro, que então corria, se esgotou Nome de Guerra, um dos maiores romances do nosso século xx. Felizmente há muitos que, lendo menos nos Livros, lêem mais na Vida. E esses “sentiam” e “sentem” Almada. É claro que os genuínos intelectuais, os homens de “honesto estudo” (Camões), cujos espíritos, sem embargo, não ficaram áridos de Poesia e de Ingenuidade, também aqui encontrarão muito e bom alimento. Esses também terão (e a seu modo) “alma até Almada”. Uns e outros aqui encontrarão, entre outras coisas, um saber antiquíssimo e eterno, em formulações tão originais quão actuais. Pode dizer-se que, pela primeira vez, aqui se oferece ao Povo, em forma compacta, abreviada e ordenada, uma bela amostra do “Almada por escrito”. Almada pertence ao Povo Português – e à Humanidade. Mas bom será que o Povo Português se não atrase com respeito à Humanidade. No fim do volume, quatro substanciais Apostilas contextualizam e elucidam algumas afirmações de Almada, em pontos que, até agora, a crítica não havia tocado.

    23.32€ 15.00€
  • A Esquerda Democrática e o Final da Primeira República

    Este livro apresenta um estudo sobre o Partido Republicano da Esquerda Democrática (PRED), o último partido a ser constituído durante a Primeira República. Pretende dar a conhecer as suas origens, a sua natureza social e a sua estrutura orgânica; perceber a importância que teve no sistema partidário desse período, as responsabilidades que assumiu na queda do regime e avaliar o papel que desempenhou na oposição à Ditadura Militar e ao Estado Novo. É dado também um relevo especial à biografia do seu líder, o advogado portuense José Domingues dos Santos. Na parte final apresenta-se uma lista dos militantes do PRED e dá-se a conhecer a sua imprensa e as suas elites. Em termos cronológicos, embora incidindo com particular destaque nos anos finais da Primeira República, o livro abrange um período que se situa entre os inícios da década de 20 e o final da década de 50 do século xx.

    34.98€ 22.00€
  • Salazar e a Igreja

    25.14€ 17.00€
  • Consciência Histórica e Nacionalismo

    “Consciência Histórica e Nacionalismo” envolve a memória que os intelectuais portugueses foram construindo sobre a nação em que viveram e o seu passado, bem como a reflexão que foram empreendendo sobre o seu próprio ofício. A consciência histórica é consciência de que todo o presente tem uma anterioridade e de que todos os pontos de vista são relativos. O que remete para o sentido reflexivo da modernidade. Num outro sentido, trata-se de contributos para alargar o conhecimento de uma memória histórica construída e sedimentada por historiadores, tendo em conta a sua função na estruturação da consciência nacional. Reúne-se neste livro um conjunto de textos escritos desde 1992 , incluindo dois inéditos, agora revistos e ampliados.

    29.18€ 17.00€
  • Salazar a instauração da Ordem

    Entre 1932 e 1934, período capital para a instauração da “Nova Ordem”, Salazar monta cirurgicamente os pilares daquela que viria a ser a mais longa ditadura europeia do século XX. Seguindo o implacável plano arquitectado por Salazar, Arnaldo Madureira, investigador de História Contemporânea, desconstrói um a um os mecanismos que levaram à consolidação do seu poder.

    25.13€ 17.00€
  • O Conde de Tarouca e a Diplomacia na Época Moderna

    Revelando-nos curiosos aspectos do meio aristocrático onde nasceu e viveu, além das venturas e desventuras da prática diplomática que desenvolveu ao longo da vida, este livro dá a conhecer a complexa teia de conexões que na época se estabeleciam entre as trajectórias familiares e sociais e os percursos políticos. Diplomata de representação, Tarouca cedo assumiu o papel de diplomata de negociação, prenunciando as grandes mudanças que a especialização iria introduzir na prática da diplomacia após Utreque. São essas mudanças, desde o congresso de Vestefália até à Paz de Viena que o leitor poderá encontrar nesta obra. O quadro rigoroso que é traçado nesta obra, acerca da política externa europeia na época moderna e a consequente articulação com as opções políticas de Portugal, no quadro das relações internacionais, tornam-na, muito mais do que uma simples biografia, numa obra de referência. A autora, Isabel Cluny, é investigadora do Centro de história Contemporânea e professora-orientadora do núcleo de estágio, na Escola Secundária D. Luísa de Gusmão. É autora de diversas obras e artigos, dos quais destacamos “D. Luís da Cunha e a Ideia de Diplomacia e Portugal”, também editada pelos Livros Horizonte.

    35.23€ 22.00€
  • História dos Municípios. 1050-1383

    30.18€ 22.00€
  • Estado Novo – Uma Cronologia

    Esta é a primeira cronologia com carácter monográfico que se publica acerca do Estado Novo. A Cronologia, além de ser uma ciência auxiliar da História, necessária a investigadores e estudiosos, é também uma ferramenta necessária a qualquer pessoa comum que deseje estar informada. É, poderíamos dizer, uma espécie de enciclopédia cronológica, fundamental para pesquisa e importante para consulta.

    38.80€ 22.00€
  • História Diplomática de Portugal. Uma Cronologia

    Grandes historiadores, como Marc Ferro e Joel Serrão, subscreveram títulos de história cronológica. Quer isto dizer que continuam a justificar-se, inequivocamente, obras de referência desta natureza e com estas características. (Não é a história a “ciência dos homens no tempo”?) A História também se tece com estes fios. Não nos iludamos: são tão necessários os trabalhos com um pendor mais explicativo, como estes que vivem essencialmente de factos e de aconteci-mentos. Até porque esta história factual (à falta de melhor palavra) é fundamental para a construção de uma outra mais “complexa”, mais conceptual. São duas dimensões que se complementam. E se é importante encontrar uma certa lógica das evoluções e procurar grandes explicações (estruturais), é também essencial reafirmar “o papel do Acontecimento”, da curta duração, do que se agita à superfície, em suma, “reabilitar o fortuito, restituir importância ao singular” e reafirmar o protagonismo dos indivíduos (René Remond). É esta dimensão da história que se cultiva, exemplarmente, neste trabalho do Embaixador Castro Brandão. Na sequência da já extensa lista bibliográfica do autor – com especial ênfase em títulos relacionados com a cronologia e as relações internacionais –, eis mais uma obra de referência e de consulta obrigatória. “Uma cronologia”… – aceita-se o subtítulo, por justificados receios… De facto, se a história é sempre uma escolha – e escrever é seleccionar e optar –, inevitáveis ausências e silêncios detectam-se ainda mais em trabalhos como este. Mas, ao pensarmos no fôlego da obra, no manancial e quantidade de elementos, de dados e de pormenores, na qualidade e na diversidade da informação e das informações – desde os grandes tratados às (só aparentemente) singelas efemérides –, ao pensarmos em tudo isto, creio que estamos, neste momento, no campo da história diplomática, na presença de a cronologia… Não sabemos que mais admirar neste escrito (uma vez mais pioneiro): se o infatigável labor, se o trabalho de pesquisa e de inventariação, se a riqueza, se o rigor, se a minúcia… Obra essencial, que tem tanto de valiosa como de útil, para historiadores e especialistas – sobretudo para os que privilegiam as relações internacionais –, mas também para o grande público que não deixará de encontrar respostas para muitas perguntas… As cronologias de qualidade continuam a ser preciosos instrumentos de trabalho para todos os que se interessam pela História. Augusto José Monteiro

    34.98€ 22.00€
  • Sou Pai, e Agora-A Arte da Paternidade-Guia Fund Homens

    Acabou de ser pai ou vai sê-lo em breve? Boa! É a melhor coisa do mundo, etc., etc.. Agora a vida pode retomar o seu rumo… ou quase… Com Sou pai, e agora? ficará a saber como vai ser a vida daqui em diante. Repleto de informações e dicas práticas, de leitura fácil, eis um livro divertido que lhe explica tudo o que precisa de saber para sobreviver ao próximo ano, nomeadamente: – Sono: Está provavelmente a perceber porque é que a privação de sono é usada como tortura. Com o que pode contar, em que alturas, e como aguentar? – Sexo: Quando recomeça? A amamentação funciona mesmo com meio de contraceção? Como e quando recuperar a relação privilegiada com a sua companheira? – Dinheiro: Tem consciência de ter gasto uma pequena fortuna antes do nascimento do seu filho? As despesas vão continuar – mas em que medidas? Haverá soluções que não impliquem mandar o seu bebé lavar pratos? – O seu bebé: Por enquanto o fruto das suas entranhas não faz muito mais do que comer e dormir. O que pode esperar dele e quando? Graças a este livro, no fim do primeiro ano não só conseguirá mudar uma fralda a dormir (se é que consegue arranjar algumas horas para tal) mas também, e mais importante, dominará a arte de ser um excelente pai.

    16.00€ 11.20€