A importância dos puzzles no desenvolvimento infantil

A importância dos puzzles no desenvolvimento infantil

Os puzzles têm um papel fundamental no desenvolvimento infantil. Peça a peça vamos construindo imagens e desenvolvendo competências essenciais e transversais a todo o processo de aprendizagem e de desenvolvimento pessoal.

Então o que será que aprendemos com os puzzles?

Estimulam a curiosidade – Construindo o puzzle vamos descobrindo uma imagem, vamos criando um todo a partir de pequenas partes. É interessante observar como a criança vai descobrindo cada pedacinho dessa imagem. Podemos ir colocando perguntas, como acha que vai ficar determinada figura? A quem pertence certo acessório? De que personagem é a peça que tem cabelo loiro?

Nunca se esqueçam que uma criança curiosa é uma criança que aprende melhor, que é mais motivada para a escola e para o estudo.

Facilitam a coordenação olho-mão – Esta coordenação olho/mão é essencial para competências básicas como copiar coisas escritas do quadro, copiar do caderno para uma folha, responder a um teste recorrendo a um texto…enfim …um enorme conjunto de tarefas muito importantes na escola mas que começam a ser desenvolvidas ainda quando somos bebés. Os puzzles são dos nossos principais aliados nesta construção, porque a criança tem que adquirir uma boa coordenação olho- mão para realizar um puzzle.

Treinam a concentração visual e o foco na tarefa – Quando queremos ajudar uma criança a focar a sua atenção e a conseguir fazer uma tarefa do princípio ao fim, um puzzle é uma boa estratégia. Se for um puzzle pequeno a criança sabe que só pode sair da tarefa quando completar o puzzle até ao fim, conseguindo assim gerir a sua permanência no mesmo local. Este tipo de atividade ajuda bastante no desenvolvimento da concentração visual e do foco, porque tem que se procurar peça a peça para construir o todo, desenvolvendo ao mesmo tempo a capacidade de raciocínio abstrato ( uma peça azul por si só não significa nada, junta com outras peças azuis forma o céu).

Desenvolvem competências de planeamento e de organização – A criança deve ser estimulada a organizar as peças, por exemplo organizar por cores, construir a moldura, separar as peças pelas suas formas de encaixe… Deve decidir por onde quer começar o puzzle, se vai construindo pequenas partes e junta tudo no final…esta organização, bem como estas tomadas de decisão servem de modelo para outras decisões que a criança tenha que tomar na sua vida diária. Um bom exemplo é ajudar a criança a transpor estas aprendizagens por exemplo para a organização dos seus cadernos e do seu material escolar, “Começa a escrever na linha, vai mudando de cor a escrever, sublinha o mais importante…é como organizar as peças de um puzzle”.

Favorecem a capacidade de resolver problemas – Quando se abre uma caixa de um puzzle e se observam todas as pequenas peças coloridas o nosso cérebro começa imediatamente a desenvolver as estratégias que consegue para resolver aquele “problema”, chegar de um monte de peças soltas a uma bonita imagem. Estas estratégias que o nosso cérebro desenvolve para ajudar a resolver um puzzle serão muito úteis quando nos apresentam uma nova tarefa na escola, um desafio de matemática, por exemplo.

Ajudam no desenvolvimento da linguagem e no relacionamento interpessoal – Os puzzles têm imagens que servem como mote na construção de um diálogo e quem sabe na invenção de uma história. Quando a imagem do puzzle fica completa devemos convidar a criança a descrevê-la a contar uma história sobre o que vê, a inventar o que falta ou quem falta na imagem. É uma excelente atividade de partilha e de trabalho colaborativo entre pais e filhos.

São uma excelente ferramenta para a auto-regulação emocional – Quando estou triste ou preciso acalmar faço puzzles, é assim há muito anos…os puzzles fazem parte das minhas estratégias de auto regulação. E porquê?  Por que é que os puzzles ajudam a regular as emoções? Porque sendo uma tarefa altamente “cognitiva” que ativa toda a nossa concentração e foco, não permite ativar a nossa parte emocional, logo, não conseguimos fazer um puzzle e pensar em problemas ao mesmo tempo…o puzzle tem a capacidade de acalmar, de suscitar aquilo que hoje muito se fala que é o “mindfulness”, a atenção plena. Existem poucas atividades que nos ajudem tanto a alcançar a atenção plena como fazer um puzzle.

 

Depois de ouvir todas estas razões ainda ficou com dúvidas sobre a importância dos puzzles? Acredite que é dos melhores presentes que se pode oferecer a uma criança.

 

Ana Manta*

Psicóloga Especialista em Desenvolvimento Infantil

 

*Ana Manta

Licenciada em Psicologia e Mestre em Desenvolvimento Infantil; mas ser mãe de três filhos é o seu maior desafio. Adora festas e passeios, conhecer coisas novas e brincar! É viciada em formações. Ser Mediadora de Conflitos tem sido muito útil na sua vida diária. É uma sonhadora e vive com a ideia de que pode mudar o mundo à sua volta. Escreveu um livro que procura ajudar os pais a motivar os filhos para o estudo. Trabalha há 19 anos com crianças, adolescentes e famílias para as tornar mais felizes. É sócia da Redapple com os seus melhores amigos. Atualmente desenvolve a sua atividade profissional na ELI (Equipa Local de Intervenção) de Valongo e no Prisma – Centro de Desenvolvimento e Terapias. Dinamiza o blog «Motivar os filhos para o Estudo» e as redes sociais: facebook/Instragram: @motivaraoestudo