Product Tag - religião

  • A Bíblia não É Um Livro Sagrado

    A divindade, entendida na sua acepção espiritual, não está presente no Antigo Testamento. Concretamente, na Bíblia não está Deus nem qualquer culto que Lhe seja dedicado. É por essa razão que o título afirma que a Bíblia não é um livro sagrado.

    Quem interveio, ao longo dos séculos, para modificar a Bíblia?

    Seremos vítimas de um grande engano?

    Leia este livro e descubra muito do que está contido na Bíblia:

    • Temos apenas uma das muitas bíblias possíveis;
    • Nada sabemos sobre quem a escreveu nem quando;
    • A verdadeira natureza da Árvore da Vida tem-nos sido escondida;
    • Nós somos OGM (Organismos Geneticamente Modificados);
    • Deus cansa-se, suja-se e tem fome;
    • Há 11 livros bíblicos que estão oficialmente desaparecidos;
    • A criação do Homem, entendida como acto divino, é falsa;
    • O Pecado Original é apenas uma fábula;
    • O Deus bíblico não era o pai de Jesus;
    • Como se constrói uma religião.

    «Ler Mauro Biglino representa uma vertigem constante. Significa aceitar discutir todas as nossas certezas, influenciadas por séculos de doutrina, de catequese, de tradições populares construídas sobre as fundações do Antigo Testamento como texto revelado, a partir do qual Deus falou à Humanidade.»

    Sabrina Pieragostini (jornalista da Mediaset)

    13.90
  • Bispos e Arcebispos de Lisboa

    Direcção: João Luís Inglês Fontes

    Coordenação: António Camões Gouveia, Maria Filomena Andrade, Mário Farelo

    “Nas comemorações do tricentenário do Patriarcado de Lisboa inclui-se a publicação desta obra coletiva sobre bispos e arcebispos que o antece-deram. De Potâmio, no século IV, a D. João de Sousa, falecido em 1710, sucederam-se os prelados lisbonenses em várias épocas e contextos sociais e religiosos, aqui biografados por reconhecidos historia-dores de várias Universidades e Centros de Investigação. […]

    Que importam ao que nos liga aos outros, como humanidade, ao mesmo tempo tão igual e tão diversa de contexto a contexto.

    É nisto que a boa historiografia nos ajuda, sem anacronismos nem extrapolações. Sobra o que sobra, para além das diferenças e muitas vezes por contraste, já que por ali não se podia nem devia prosseguir. Sobrará mais humanidade e certamente mais cristianismo. Mas só depois se soube, dando razão póstuma aos profetas.”

    (D. Manuel Clemente, cardeal-patriarca de Lisboa)

    46.00