Novos Principios do Urbanismo-3ª.edição

Novos Principios do Urbanismo-3ª.edição

A presente edição reúne as duas últimas obras de François Ascher sobre Urbanismo: Les nouveaux principes de l’urbanisme e Les nouveaux compromis urbains. Sociólogo e politólogo, François Ascher centrou nos últimos vinte anos a sua reflexão sobre a perturbadora dinâmica das formas de vida-e-urbanização do último meio século que caracteriza como passagem da modernidade para a hipermodernidade. A ele se deve não só a explicação das razões profundas – socioeconómicas, tecnológicas e culturais pelas quais as cidades que herdamos davam lugar a uma verdadeira mudança de “paradigma” territorial – mas também a justificação das políticas capazes de conduzir à convivência das diversidades de assentamento que Choay tinha anunciado como a passagem de “la ville a l’urbain”. Ascher pôs em circulação alguns conceitos sobre a “cidade contemporânea” que pela sua precisão se tornaram descritores expressivos das novas articulações da urbanidade que adoptamos e da urbanização em que nos movemos. Recordamos os termos que propõe nos próprios títulos, para não ir mais longe: “Meta(polis)” – em vez de mega ou metro – para acentuar a transversalidade e a extensividade, em vez da grandeza ou dos limites rígidos que caracterizavam a cidade; “plural” acentuando a diversidade, a complexidade, em vez da uniformidade ou da densidade dos seus assentamentos; “compromisso”, acentuando os défices de consenso sociocultural e de governância, em vez da unicidade das políticas e soluções.

19.08

Em stock

REF: 83013,2 Categoria: Etiqueta:
  • Sobre o livro
  • Detalhes do produto

Descrição

A presente edição reúne as duas últimas obras de François Ascher sobre Urbanismo: Les nouveaux principes de l’urbanisme e Les nouveaux compromis urbains. Sociólogo e politólogo, François Ascher centrou nos últimos vinte anos a sua reflexão sobre a perturbadora dinâmica das formas de vida-e-urbanização do último meio século que caracteriza como passagem da modernidade para a hipermodernidade. A ele se deve não só a explicação das razões profundas – socioeconómicas, tecnológicas e culturais pelas quais as cidades que herdamos davam lugar a uma verdadeira mudança de “paradigma” territorial – mas também a justificação das políticas capazes de conduzir à convivência das diversidades de assentamento que Choay tinha anunciado como a passagem de “la ville a l’urbain”. Ascher pôs em circulação alguns conceitos sobre a “cidade contemporânea” que pela sua precisão se tornaram descritores expressivos das novas articulações da urbanidade que adoptamos e da urbanização em que nos movemos. Recordamos os termos que propõe nos próprios títulos, para não ir mais longe: “Meta(polis)” – em vez de mega ou metro – para acentuar a transversalidade e a extensividade, em vez da grandeza ou dos limites rígidos que caracterizavam a cidade; “plural” acentuando a diversidade, a complexidade, em vez da uniformidade ou da densidade dos seus assentamentos; “compromisso”, acentuando os défices de consenso sociocultural e de governância, em vez da unicidade das políticas e soluções.

Informação adicional

Weight 0.22 kg
Dimensions 14 x 21 cm