John Wolf

John Wolf

Autor

John Wolf

© Fotografia de Kenton Thatcher

John Wolf nasceu em Madrid (1970), mas tem nacionalidade norte-americana. Licenciado em Relações Internacionais. No seu ADN encontram-se vestígios de Russos, Portugueses de Goa, Persas e Alemães. Reside em Portugal desde os anos 80. É autor dos seguintes livros: Portugal Traduzido (2008) – um ensaio crítico sobre a condição económica, política e social do país, pensado e escrito ainda antes de a crise ganhar a sua intensa expressão – e da obra de ficção A Reforma do Palhaço e Sete Contos (2011) – uma novela que coloca em cena Salazar, a sua alegada filha e um palhaço africano; e ainda do livro de contos Contagem Descrente (2014). Bloguer destacado no Estado Sentido e ex-colunista da revista Maxim. O seu discurso narrativo já passou em televisão quando foi comentador no canal Eurosport para disciplinas equestres, mas já teve outras profissões, como gestor de carteiras financeiras, intérprete de conferência, actor, tradutor, cavaleiro em apresentações de equitação clássica ou consultor de comunicação. John Wolf acrescenta ainda outras valências atípicas: sobreviveu a um desastre aéreo nos EUA, partindo o tornozelo esquerdo, e a uma queda de uma égua que lhe custou a fractura do fémur direito. O autor, como o próprio se define, é um potpourri literário, com particular inclinação para o jogo de palavras no território de encontro e desencontro de culturas e línguas. Um contador de estórias que discorre de um modo atípico e cativante para alguns autores. A obra que agora apresenta ao público – SARA E O MAGO – consubstancia uma homenagem a um dos maiores vultos portugueses da literatura universal, calcorreando um espaço híbrido de criatividade que arrasta para a leitura destinatários dos 8 aos 88 anos, aventureiros em busca da palavra e dos títulos de José Saramago.