Biografia fala dos vícios de Margarida Marante

Biografia fala dos vícios de Margarida Marante

O advogado Proença de Carvalho revela neste livro que Emídio Rangel é o responsável pelo uso de cocaína por parte da jornalista.

Falecida em 2012, Margarida Marante foi um dos nomes maiores do jornalismo televisivo em Portugal mas os últimos anos de vida ficaram marcados por várias polémicas, que voltam agora a ser recordadas na biografia lançada pela editora Livros do Horizonte. Uma das partes que está já a dar muito que falar é onde o advogado Daniel Proença de Carvalho, um dos amigos mais próximos de Marante, acusa o falecido Emídio Rangel de ser o iniciador de Margarida no vício da cocaína: “Esse vício fora adquirido com Emídio Rangel, mas enquanto ele tinha uma estrutura física e emocional para recuperar, a Margarida não tanto”, confessa Daniel Proença de Carvalho na biografia ‘Margarida Marante’, de acordo com o que escreve a TV Guia, que está esta sexta-feira nas bancas.

Mas não é só sobre droga que o livro fala. Recorda que Margarida Marante se sentiu amargurada por causa da falta de trabalho desde que deixou a SIC, em 2001, em solidariedade com o então marido Emídio Rangel. Enquanto ele conseguiu rapidamente trabalho na RTP, Marante nunca mais voltou à televisão e terá-se arrependido de ter deixado Carnaxide como deixou.

Esta biografia contém além do depoimento de Proença de Carvalho, declarações de familiares de Marante, nomeadamente dos filhas.

Margarida Marante morreu no dia 5 de Outubro de 2012 com um ataque de coração. Tinha 53 anos.

Partilhar