Amigos de Margarida Marante criticam revelação de vícios

Amigos de Margarida Marante criticam revelação de vícios

Revelações sobre consumo de cocaína geram desconforto.

“O vício [da cocaína] fora adquirido com Emídio Rangel, mas enquanto ele tinha estrutura física e emocional para recuperar, a Margarida não tanto”. Esta é a frase que está a gerar muita polémica e que consta da biografia de Margarida Marante, lançada esta segunda-feira em Lisboa, da autoria de Maria João Martins. Foi Proença de Carvalho, advogado e amigo da jornalista, quem proferiu a afirmação que deixou a mãe de Margarida Marante e alguns amigos incomodados. “Acho que o livro está bem, mas há ali uma coisa que me aborrece”, fez saber Hortênsia, mãe de Margarida Marante que acabou por ver o discurso interrompido pela neta, Catarina, de 26 anos, filha mais velha da jornalista, que morreu em 2012. Também Marina Cruz, que acompanhou durante vários anos Margarida, não escondeu a tristeza por ver esse momento menos bom da jornalista exposto. “Ela merecia esta homenagem. Poderia dizer-lhe que não valeria a pena este assunto ter sido abordado, porque acho que os dois [Emídio Rangel e Marante] já não estão cá. Para quê falar em coisas que não interessam a ninguém?”, disse a conhecida cabeleireira. Já os filhos de Margarida Marante, Henrique e Catarina, deixaram claro que os momentos menos bons fazem parte da vida, desvalorizando a revelação feita por Proença de Carvalho. “O livro, sendo pequeno, tem passagens tão bonitas que focarmo-nos na parte menos boa era tirar todo o mérito. Era desnecessário, embora conste do livro. Nós não objetámos. Tenho muito orgulho no que a minha mãe foi, com o bom e com o mau”, afirmou o filho, Henrique Granadeiro, realçando: “O legado da minha mãe é como um todo, com o bom e o mau, e nós preferimos focar-nos no bom. Acho que é o mais bonito”.

Partilhar